quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Mundo novo?

O MEC apontou que 91% das escolas públicas estão abaixo da média nacional e que tiveram no ano passado um pior desempenho que em 2.014.  Dado este que demonstra de forma vergonhosa a desigualdade de direitos entre as classes sociais, já que houve um aproveitamento melhor na classe abastada e mediano, na classe rica.
Que precisamos de um reforma na Educação como um todo é fato, mas esses dados não podem justificar e corroborar com as propostas defendidas por uma Medida Provisória (PEC 241), articulada por seres que se locupletaram de dinheiro público e agora defendem uma contenção de gastos, arvorando-se como paladinos da economia do Estado Mínimo.
Pior, nossa sociedade mais uma vez terá de engolir o amargor de uma decisão tomada sem consulta aos agentes mais interessados: pais, alunos e professores. Para os últimos, essas intenções nefastas causa-lhes estranheza, desconforto, resistência e raiva ao sentirem-se desvalorizados em seu saber, desqualificados em sua práxis, acumulando afazeres além daqueles previstos para a atuação docente e decente.
A reformulação do Ensino Médio, nos moldes propostos e pouco definidos, tende direcionar a leva de alunos despossuídos de riqueza às escolas técnicas, produtoras de mão-de-obra. Escolas estas que não está preocupada com a função socializadora dos conteúdos de História, Geografia, Filosofia, Sociologia e Arte, com os saberes socialmente construídos e acumulados pela humanidade, com os direitos humanos garantidos pela Lei, com a dignidade da pessoa humana e o lazer. Seu objetivo é somente disciplinar e capacitar um exército de trabalhadores alienados, refletindo uma opção social pelo não-conhecimento.
Para eles, o que está vindo apenas garante o acesso e a permanência na escola, sem, contudo, se responsabilizar pelo conhecimento, principalmente aquele reflexivo e transformador, tão necessário à formação integral do ser como humano, conforme prevê a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 1.996.
Aproxima-se uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos. Um mundo de pessoas programadas em laboratório (escolas técnicas) e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento (classes média e pobre). Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série, a uniformidade, e que idolatra Henry Ford. Essa é a visão desenvolvida no clarividente romance distópico: Admirável mundo novo, de Aldous Huxley (1.932).

Quem já o leu, que releia, e quem não o leu, que o faça urgente. Posicionar-se é preciso!


3 comentários:

  1. Querido amigo, que prazer poder ler por aqui suas postagens repletas de sabedoria!
    Ler e reler para nos fazer conscientizar sobre o que estamos enfrentando, pois como todos sabem, infelizmente a Educação sempre é deixada de lado, pois creem erradamente que basta o básico para que se possa viver a vida de forma harmoniosa. Sinto saudade do meu tempo de escola em que éramos obrigados a estudar e muito, entrava no currículo escolar Educação Moral e Cívica.
    Hoje querem cortar quase tudo, só deixar Matemática e Língua Portuguesa( se aprenderem a ler e entender o que lerem até que valerá a pena), enfim, veremos como ficará?!
    Concordo contigo, que mundo novo se espera?
    Abraços apertados e obrigada pelo carinho da visita e comentário, estava com saudade!

    ResponderExcluir
  2. Oi Augusto \o/
    Quanto tempo hein?! Saudades!
    Gosto quando vc escreve esses textos ótimos e
    atualíssimos para refletirmos...
    Eu fico imaginando as consequências dessa Medida Provisória...
    Onde já se viu limitar despesas com saúde, educação e assistência social?! O governo diz que esse Projeto foi proposto
    como pontapé para tirar o país do atoleiro, mas pelo jeito vai atolar ainda mais. Pec 241 convence só os ingênuos...
    Achei muito confusa a reformulação do ensino médio :(
    Não sou especialista em contas públicas, mas estou achando que a Pec 241 vai é desmontar ainda mais nosso país. Vai dar um grande chega pra lá no desenvolvimento.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. OI AUGUSTO!
    NOSSO PAÍS ESTÁ A BEIRA DE UM CAOS EM TODOS OS SENTIDOS.NADA DO QUE VENHA DE POLÍTICOS ME CONVENCE. SAÍMOS DE UM GOVERNO CORRUPTO E ESTAMOS NOUTRO QUE NÃO NOS PASSA CONFIANÇA TAMBÉM. NADA DO QUE VEM DESTES, VISA O BEM COMUM, TUDO GIRA EM SEUS PRÓPRIOS INTERESSES, INCLUSIVE O DE SE VEREM DE FORA DE INVESTIGAÇÕES QUE MUITO TEM REVELADO E POUCO TEM COBRADO.
    TEU TEXTO TEM A CLAREZA QUE SEMPRE IMPRIMES NO QUE ESCREVES.
    ABRÇS

    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.