segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Renascimento

Venha noite e reclame o que é só seu,
sem receio de esquecer o que é do dia.
Embale-me nos abraços de Morfeu
e me devolva o que apenas parecia.

Parecia que o mundo todo era só meu
e que planava na mais doce melodia.
Só não entendo onde tudo se perdeu,
quando o véu revelou o que encobria.

Que o Sol me enganou, disto sei eu,
que sua luz trapaceou o que refletia
Se queria meu enlevo, transcendeu
a fronteira entre o real e a fantasia.

Indiferente a tudo que me aconteceu,
foi raiar sua luz em outra freguesia.
Apesar da claridade, tudo se escureceu,
e a imagem ideal, só areia que escorria.

Traga noite solução ao que ocorreu,
aquiete esta razão que me angustia,
recolha-me no escuro do seu breu
e me refaça para mais um novo dia.


16 comentários:

  1. Olá Augusto,

    Tudo bem com você?
    Lindo o poema!
    Que tenhamos a oportunidade de renascer sempre que preciso. O novo dia sempre nos aguarda com os braços da esperança. Ao nos recolhermos, seja na noite, seja em nós próprios, tudo se aquieta e se ilumina em nossos corações.

    Parabéns pelo livro "Um dia de domingo". Somente agora estou aproveitando a oportunidade para cumprimentá-lo. Achei o livro muito interessante e diferente dos usuais. Fiquei torcendo para que aquele casal 'criado' se entendesse, pois era visível o amor dos dois. Nunca vi um casal se conhecer tanto. É claro, também, que não poderia faltar uma boa dose de filosofia, né?

    Deixo, desde já, os meus votos para um santo e feliz Natal e um 2016 pleno de sucesso em seus novos projetos.
    Saúde e paz para todos nós.

    Até breve!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Caríssimo amigo Augusto, boa Tarde
    Quantas saudades e que alegria recebê-lo no meu cantinho
    E mais feliz estou pela oportunidade de estar aqui lendo este magnífico poema.
    Somos como a fênix que renasce das cinzas. E é esta nova chance de viver e caminhar que nos sustenta e nos dá esperança de vivermos dias mais felizes e completos. Belíssimo!
    Um abraço de saudades e beijinhos perfumados no coração

    ResponderExcluir
  3. Que beleza de poesia,Augusto! Todos nós temos um momento de renascimento em nossas vidas! Vim agradecer sua gentil visita e desejar boas festas, com muita alegria, paz e saude a vc e sua linda familia! Abçs,

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde Augusto,
    A noite traz algumas inquietações,
    mas insinua também muitas respostas...
    Gostei do lindo poema!

    P.S.:Desejo, com votos de amizade,
    um gracioso Natal,
    e esplêndido 2016, recheado de amor
    e bons acontecimentos!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Uma delícia de equilibrio e melodia.
    Excelente!

    ResponderExcluir
  6. E o sol, quando nasce, é para todos...
    Excelente poema, gostei imenso.
    Augusto, meu caro amigo, tem um bom fim de semana.
    E um NATAL MUITO FELIZ, na companhia dos que te são mais queridos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  7. A noite deve mesmo esquecer o que é do dia. Ao devolver "o que apenas parecia", entrega de novo o sonho. O sol é por vezes demasiado intenso e ofusca-nos.
    Belo poema, Augusto.
    Feliz Natal.
    xx

    ResponderExcluir
  8. Olá querido Augusto,

    Os últimos versos retrata o meu agora...belíssimo texto!

    Feliz Natal e um próspero ano novo

    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Maravilha de poema,Augusto! Mesmo afastada dos blogs , vim agradecer o teu carinho por lá e desejar um lindo e feliz Natal e que 2016 sorria pra cada um de nós! abraços,chica

    ResponderExcluir
  10. Belíssimo contesto . A noite e o dia são flores e florestas e neles vivemos o sonho de cada dia..

    Voltando aos poucos amigo depois de uma longa caminhada de problemas.

    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá,Augusto,boa noite,
    belo e ritmado poema ...
    o dia é o período em que tudo se revela,ou ao menos, nos indicava a forma clara, verdadeira e honesta para que tudo -ou quase- fosse sempre esclarecido,à luz... é claro, também, que a luz pode nos "cegar" e trapacear ... a noite sempre nos provoca o desejo que temos de escapar dos problemas cotidianos e nos refugiarmos na fantasia... a escuridão esconde tudo...o importante é , como bem encerrou, no escuro do breu, da noite, ver as primeiras luzes atravessando a janela , o prenúncio de um novo dia e a continuidade da vida...
    estive um pouco afastado,como bem deve saber,mas,vim agradecer...espero que o ano de 2016, Já esteja da melhor maneira possível e que a continuação, seja plena de realizações, muito sucesso e felicidade, obrigado,belos dias,abraços!

    ResponderExcluir
  12. Caro Augusto:
    Seu texto revela as contradições escondidas entre a luz e a escuridão, ambas fazem parte do real e do imaginário.
    Quiçá termos discernimento suficiente para adequá-las as nossas necessidades.
    Hoje vim te avisar que indiquei seu blog pra receber o Prêmio Dardos.
    Confira na postagem, acessando este link:
    http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/2016/03/presente-selo.html
    Bjokas.:
    Sil

    ResponderExcluir
  13. Nas idas e vindas da vida, entre o sol e a lua podemos renascer. Bonito poema.

    ResponderExcluir
  14. BOA NOITE.
    Parabens pelo texto professor augusto Lindo texto amei
    Na Idas e vindas da vida,entre o sol e a lua podemos renascer. Maravilhoso parabens mesmo augusto
    Jaqueline 3 G Numero 12

    ResponderExcluir
  15. Na vida temos o poder de escolhas "bem ou mal" mas se erramos e formos para o caminho errado,podemos renascer para podermos ser felizes na vida.

    GUILHERME SILVA RODRIGUES Nº11 3ºG

    ResponderExcluir
  16. Boa Noite professor augusto,belo poema A noite deve mesmo esquecer o que é do dia. Ao devolver "o que apenas parecia", entrega de novo o sonho.
    Jaqueline numero 12 3 G

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.