quinta-feira, 3 de julho de 2014

Conformismo

Conformar é uma palavra derivada do latim (com = junto e formare = formar) e significa “com formar”, ou seja, conformar. É ser com ou da mesma forma que o pretendido ou o que antecipadamente se estabelece por si mesmo, por um superior, entre pessoas ou grupos.
Todos esperam que algo seja conforme o que é prometido, como um serviço, um produto, uma ação, uma ajuda etc., e sempre resta uma insatisfação quando isso não ocorre de acordo com as especificações exigidas. Então, todos também esperam comportamentos padronizados dos demais indivíduos, mesmo que essa exigência não se aplique a si mesmo.
As pessoas e grupos se relacionam e trocam suas idéias sobre política, economia, religião, moda, comportamento etc. e todos ficam, de certo modo, sujeitos a se submeter, comprometer-se ou a imitar uma ideia, tanto pela imposição ideológica quanto pela solicitação e expectativas sociais. Assim, todos têm, necessariamente, de se encaixar nalguma fôrma por meio das influências ou pela imposição.
A atuação e o tamanho do grupo, o pensamento unânime, a força de união, a proeminência e os compromissos assumidos determinam, em grande parte, a conformidade de um indivíduo em relação aos grupos que pertence. Então, é possível afirmar que conformismo é a atitude individual, de grupos ou da sociedade em se submeter passivamente às opiniões, regras, normas, modelos que, de alguma forma, representam a mentalidade coletiva ou o sistema de valores, e tomá-los como se fossem seus.
O resultado é sempre uma mudança de opinião, de percepção da realidade e de comportamento, objetivando se ajustar àquelas fôrmas, principalmente pela pressão e exigência social. Todos têm de estudar, trabalhar, casar, ter filhos, religião, partido, opinião, casa própria, carro, celular, como se esse fosse um destino único para qualquer dos indivíduos de uma sociedade. Evitar conflitos com a família, comunidade e grupos com ideologias imponentes é a saída da maioria para esquivar-se da rejeição, condenação, excomunhão e ostracismo pela sociedade e pela cultura.
Mas, nem sempre há um conformismo total: uma pessoa pode aderir a uma causa simplesmente para inibir um confronto inevitável, conservando sua opinião secretamente enquanto assume em público o comportamento da maioria. Porém, há divergências entre os estudiosos em configurar o adesismo ou seguidismo como uma variante de conformismo. 

A carência de formação escolar e de informações, o senso comum e, atualmente, a influência da mídia, são fortes constituintes para um indivíduo se conformar e mais facilmente ser manipulado. Mesmo tendo uma fração de consciência de que é dirigido à distância, o indivíduo se conforma com o método adquirido pela experiência (empírico) que é melhor evitar as sansões inexoráveis aplicadas aos desviados da norma geral. E é por isso que temos de conviver com uma sociedade conformada, alienada em sua liberdade, inconsciente de seus direitos e inoperante em seus deveres. Conformar-se não é preciso!

19 comentários:

  1. Amigo Augusto, amei ler aqui, "...conformar-se não é preciso!" Nunca jamais me conformo com algo que não condiz com meu modo de ver a Vida, sempre luto com todas as forças contra as regras impostas por uma sociedade, sempre lutei pelos meus direitos, sei como é difícil isso, hoje posso me sentir vitoriosa, mesmo porque tenho um marido maravilhoso que sempre me apoia e é recíproco!
    Amigo, seus textos são reflexivos e ajudam as pessoas a se sentirem no dever de estudar, senão, pelo menos lerem muito a aprenderem a pensarem por elas mesmas!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  2. Bom texto
    Boa explicação
    Mas conformar-se acho que faz parte
    da vida de cada um.....Nem sempre é bom
    mas eu preciso sair desse conformismo que estou

    Como vc disse conformar-se não é preciso
    Bjuss de bom final de semana
    Rita!!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia querido amigo.. eu sou critico demais.. não ceito tão fácil as coisas.. gosto de ver os dois lados sempre.. quem se conforma com tudo se torna escravo de si mesmo.. não tem foco e não cria objetivos mais concretos.. abraços e até sempre

    ResponderExcluir
  4. Augusto,mais um excelente texto que nos faz pensar e balança nossas estruturas. O perigo de conformar-se demais está em se tornar uma pessoa sem esperança e isso não pode acontecer. É importante pra nossa vida, nosso ser conservar a esperança de que as coisas podem ser diferentes e lutar para transforma-las. Hoje tem um texto seu em meu blog tb. Deixo o link caso queira dar uma espiadinha:

    http://recantodosautores.blogspot.com.br/2014/07/o-homem-e-o-lobo-do-proprio-homem.html

    bjs e obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Beleza,Augusto! Não sou conformista.,Não me calo muito fácil. gosto de expor minhas posições. Imagina isso quando fui advogada e via as barbaridades na justiça( a considero assim com letra bem minúscula mesmo,rs)

    E acho pior que o conformados, os "maria vai com as outras"... Simplesmente acompanham pra não ter que pelo menos pensar! abração, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  6. Oi Augusto, tudo bem?!
    Sobre esse assunto, percebo que nossa sociedade é conformada,
    mas não aparenta ser satisfeita.
    Você está certíssimo:
    'A carência de formação escolar e de informações, o senso comum e, atualmente, a influência da mídia, são fortes constituintes para um indivíduo se conformar e mais facilmente ser manipulado'. Achei essa conclusão perfeita.
    Os políticos agradecem, afinal, não existe cobrança do trabalho deles.
    E enquanto isso, haja corrupção e abusos.
    A maioria do povo, parece que se contenta com 'pão e circo'...
    Quem dera, se houvesse menos resignação...
    Gostei de ler mais um ótimo e importante texto.
    Bjs!

    P.S.: Será que o texto que eu postei, é da Clarice Lispector?
    Procurei bastante, mas não encontrei menção à autoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não posso afirmar, apenas senti que era um texto dela!

      Excluir
  7. Oi Augusto,
    Eu tenho quase 67 anos e sempre segui meus ideais de vida. Meu pai dizia: você é professora, vai lecionar aqui no interior, casar-se com um bom homem e etc...Eu já naquela época respondi a ele: o sr. é que vai viver meus sonhos? Não, vou morar numa metrópole, não vou lecionar agora, primeiro quero trabalhar na parte administrativa(autarquia municipal).
    Fiquei sabendo da inscrição do concurso um dia antes. Era, jovem, bonita, mas carregava na mãe esquerda uma aliança de casamento, então me disseram: aqui nós não deixamos fazer concursos que é casada. Por que respondi? Homem pode porque eles não têm filhos. Então você chama o chefe que quero conversar com ele. Ele chegou e eu lhe disse: só não vou fazer esse concurso se me provar no livro da constituição que vocês devem ter aí, que mulher casada não pode fazer concurso público. Como eu sei que vocês não encontrar e se
    recusar minha inscrição já vou direto no fórum.
    Eu fiz a inscrição e sem estudar passei em 3º lugar num total de 15 vagas e 650 candidatos. Saí após 4 anos porque quis e fui trabalhar onde ganhava muito mais.
    Eu não sou conformista até hoje eu dou trabalho.kkk e sempre correndo atrás dos meus direitos, deveria ser advogada, mais gostava de matemática e física.
    Vou morrer sem me conformar com a morte.kkk
    Obrigada pelo carinho
    Adoro lê-lo, ia entrar no seu blog, mas fiz um pequena cirurgia que da até para chorar.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dorli, você é mesmo uma Lua singular. Seu depoimento demonstra seu despojamento e não-conformismo, servindo de exemplo para outras pessoas. Adorei seu comentário aqui! Abraços!

      Excluir
  8. Olá Augusto,também gosto de ver os dois lados e não sou à favor ao conformismo,acho que temos que ir à luta à tudo que desejamos.
    Obrigada amigo pelas palavras lindas deixadas em meu blog.

    PS-Você me faz sorrir muito com o que posta no face.rs
    bjs e um ótimo domingo.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  9. Um exemplo: Basta proporcionar "pão e circo" ao povo, que ele se conforma com o resto.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  10. Interessante! Como diz um ditado popular: "vivendo e aprendendo". Conformar não me conformo com uma série de coisas que acontece nesse país. E uma das coisas que é a destruição do meio ambiente.

    Obrigado pela visita e volte sempre que puder.

    ResponderExcluir
  11. O difícil é se conformar com as coisas...no meu caso quase nunca!

    Gostei muito do seu texto, bem verdadeiro...

    Bjos

    ResponderExcluir
  12. Olá, Augusto
    Creio que a omissão é tão prejudicial a todos... vivi casos na família assim e foi duro e continua sendo... esperamos tudo dos familiares e nem sempre eles nos contemplam pela omissão vergonhosa... que pena!!!
    Abraços fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  13. Oi, Augusto!
    Até os mais informados sofrem algum tipo de influência e são "obrigados" a se passarem por conformistas, remetendo também ao contexto familiar que citou. Dependendo com quem esteja ou onde esteja, o ser humano tende a não se expor para se preservar ou mesmo garantir a sua segurança, numa espécie de submissão transitória ou em muitas vezes, em outro extremo, o ignorante veste uma camisa achando que está saindo do conformismo e no entanto, nada está fazendo do que obedecendo os interesses de um mais "sábio".
    Um assunto amplo com várias facetas! Um texto para pensar!
    Beijus,

    ResponderExcluir
  14. Augusto:
    Mais um brilhante texto.
    Na adolescência fui bastante intolerante com o conformismo.
    Porém, em certas situações isso significa dar murro em ponta de faca ou ainda jogar pérolas aos porcos, como dizem os ditados.
    A gente tenta mostrar determinadas coisas, mas quando a pessoa não tem interesse, nossos esforços são em vão.
    Por isso, hoje em dia tenho mais cautela e evito entrar em confrontos desnecessários.
    Mas, concordo com sua frase final = Conformar-se não é preciso!
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
  15. Excelente texto como sempre, fechou com chave de ouro "Conformar-se não é preciso!"
    Tens toda razão, qdo alguma coisa me incomoda não é pq todos aceitam que faço o mesmo.
    Mesmo que não mude dou minha opinião, afinal penso e existo rs.

    ResponderExcluir
  16. Olá Augusto,

    Texto excelente. Conforme disse John Kennedy; ...'' ... O conformismo é carcereiro da liberdade e o inimigo do crescimento ... ''.


    Grata pelo apoio e carinho de suas palavras. Oportunamente, retornarei às visitas e comentários.
    Muito obrigada!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Oi Augusto,
    o conformismo acabou por apresentar-se como um apêndice da comodidade, da alienação ( como vc apontou) estabelecendo um prática corrosiva ao senso crítico pessoal e também social; herança funesta que se alastra por gerações trazendo um permanente estado de perplexidade e estagnação.
    Há muito o que ser degustado neste texto tão profundo e instigante.

    Um belo domingo com igual semana.
    Abraço,
    Calu

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.