terça-feira, 23 de julho de 2013

E o mundo parou...

Como não assisto tevê aberta, principalmente durante o dia, nem percebi que o mundo estava parado. Aproveitei minhas férias para reformar a casa de minha mãe e lá andei passando boa parte dos dias. Ontem, ao passar entre minha mãe e a tevê, onde ela assistia uma reportagem mostrando uma multidão numa praça de Londres, perguntei se era mais uma manifestação do povo contra os desmandos do governo de lá, já que a moda de um governante e de gente ligada a ele é desmandar desde que o primeiro homem assumiu o poder de governar os outros. Então ela me respondeu que estava para nascer o “bebê real” e que aquelas pessoas estavam aguardando o momento.
Senti que ia desmaiar. Meu fígado tomou o lugar do coração e a fel queria sair pelos meus poros. Sentei-me ao lado dela para observar aquele alvoroço que se fazia. Parecia que o Messias estava retornando ao planeta para começar o Milênio. Pressentindo um colapso, neguei-me a seguir a reportagem.
Ante a decepção e a revolução orgânica pela qual passava, não podia acreditar no circo armado para esperar o nascimento de um ser tão comum como tantos outros que nascem pelo mundo afora. Só que este já deve nascer com o bumbum virado para a Lua, enquanto muitos outros não terão as mínimas chances de sobrevivência, tão merecidas quanto às dele.
Ele não tem alguma culpa, mas nascer no meio de uma família rica e “real” fez o mundo parar. Surpreende-me que os ingleses, aparentemente europeus evoluídos, ainda conservem essa gentalha sem importância alguma num status ridículo e para nada. Qual a importância da rainha da Inglaterra para o mundo? O que ela fez ou que tempo ela dedicou para melhorar a vida de outras pessoas? Que eu saiba, sempre viveu de forma nababesca, como sanguessuga.

Os vizinhos de minha mãe sempre levam umas comidinhas gostosas para ela. A Maria, a Dirce e o Dé dedicam uma amizade tão despojada e cuidam dela despretensiosamente quando eu ou meus irmãos não estamos por perto. Essa gente sem importância para o mundo, que não faz a mídia embasbacada se mover, mesmo assistindo, alienada, o nascimento do “bebê real”, é muito mais importante para mim, porque jamais causará uma revolução nos meus órgãos e está bem mais preparada para o Milênio.



30 comentários:

  1. Oi amigo Augusto
    Eu também não vejo TV mas a notícia foi no mínimo estarrecedora. Um pais inteiro embasbacado pela notícia do herdeiro real. E milhões de crianças no mundo morrendo de fome e frio. Gostei da sua franqueza ao expor a sua opinião. A força das suas palavras é que prende o leitor e a sinceridade com a qual expressa o tua indignação só me faz admirá-lo cada vez mais. Parabéns pela belíssima exposição.
    Beijos com carinho
    Gracita

    ResponderExcluir
  2. Augusto:
    Tem horas que me sinto exatamente igual á você.
    Tem outras que me sinto vivendo num mundo paralelo, pois as pessoas me contam ou perguntam alguma coisa sobre essas "asneiras" e eu não sei responder, porque também quase não vejo TV.
    Nada do que não possa fazer a diferença para o bem-estar coletivo, desperta meu interesse.
    Assim eu não páro o meu mundo, pra ficar assistindo as notícias que não agregam nada minha vida.
    E isso evita que eu passe mal, rsssssss.
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
  3. Também vi a matéria, e quem não viu? Me lembrou algumas coisas que aqui acontece, recentemente uma determinada emissora parou sua programação em função do nascimento do filho de um de seus apresentadores.
    ... o Brasil tem esses rompantes também.

    ResponderExcluir
  4. Oi Augusto,boa tarde \o/
    Hoje mesmo,eu e meu sobrinho conversávamos sobre esse povo besta e desocupado,que ficou fazendo plantão só pra ver a aparição de um serzinho comum,que vai sujar as fraldas,igual a todos os bebês;
    mas só porque nasceu em berço de ouro,merece esse auê...
    Eu pensei que os europeus fossem mais evoluídos!
    Achei ridículo ver aquelas pessoas passando um tempo enorme em frente ao Hospital.
    Enquanto isso,um bebezinho de 2 meses que mora perto da minha casa,
    perdeu todas as suas roupinhas,num incêndio criminoso,que atingiu sua casa no último final de semana.
    Ainda bem que ele tem recebido a solidariedade dos vizinhos.
    (Sempre bom e proveitoso ler seus textos).
    Bjs!

    ResponderExcluir
  5. Apoio totalmente tua opinião com o estômago igualmente embrulhado por tamanho absurdo,Augusto.Me pergunto, como vc, o que leva o povo inglês a endeusar uma família exploradora como esta.É inacreditável que sociedades tidas evoluídas mantenham uma atitude tão incoerente.
    Abraços,
    Calu

    ResponderExcluir
  6. Infelizmente assim será para sempre, eles se acham os melhores do planeta, mas nao passam de esnobes e arrogantes, comprovei isso quando estive em Londres...

    Gostei do texto!

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Tb acho de um atraso de vida enorme essa adoração que os ingleses tem pela familia real!O bebê,tadinho,não tem culpa, mas espero que lá outras crianças tenham a oportunidade de nascer com saude e bem atendidas.Deve ter alguma coisa boa nessa monarquia,não é possivel!Ou o povo é super tapado por lá!...rss...bjs,

    ResponderExcluir
  8. Boa noite, pensei basicamente a mesma coisa, até fiquei com pena do pequeno, nem pra nascer tem paz, o que dirá viver e um dia morrer. Bem este é o outro lado, agora o povo mantêm a rainha e seus descendentes por puro orgulho, inglês é um povo orgulhoso, que pena, é só isso que sinto, revolta não. Aliás aqui no Brasil sustentamos tantos e tantos ladrões engravatados, bjos Luconi

    ResponderExcluir
  9. Olá!Boa noite
    Augusto
    ...concordo plenamente, sou contra todos os resquícios do Ancien Régime ,disfarçados, de um país que vive atendendo apenas os interesses de uma decante elite indiferente aos males sociais, e que ninguém merece vê los no poder!Mas, sinceramente, eu penso que essa instituição tão fora de moda como a da monarquia inglesa ainda atrai tanto a curiosidade e a atenção da mídia porque foram as primeiras celebridades, graças à visibilidade de que gozavam quando ainda não existiam cinema ou televisão e tinham as suas efígies, estampadas nas moedas. Foi essa visibilidade que alimentou e continua alimentando a fantasia.Reis e rainhas são modelos ancestrais para o ser humano: a mamãe é a rainha, o papai é o rei . A imaginação nos faz viver no mágico mundo dos contos de fadas. Essa sensação permanec e, e no nosso imaginário, reis e princesas continuam a representar a "família típica"...Ah, mas, eu gosto mesmo, também, dos que fazem diferença em nossas vidas, os amigos,vizinhos , igiual à Maria, a Dirce e o Dé... que seria de nós...?! eles sempre se fazem presentes . o quanto eles nos enchem de amor e nos socorrem quando tropeço ou tenho uma revolução nos meus orgãos e, como se fossem mágicos reais, usando uma varinha transcendente, parecem abrilhantar os nossos dias e nos fazer sentir, sim, herdeiros da felicidade.
    Obrigado pelo carinho
    Bela quinta feira
    Abração

    ResponderExcluir
  10. Olá Augusto, concordo em tudo que você escreveu tão bem. Parabéns pela crônica e quando destacou que outras crianças nasceram e mesmo merecendo não tiveram a mesma sorte e não terão mesmo. O mundo parou diante do nascimento de um bebê real que nasceu, enquanto que muitos nascem e morrem de fome e frio debaixo do mesmo céu.
    Parabéns amigo, sucesso!
    Obrigada pela visita e o comentário que deixou. Abraçoss

    ResponderExcluir
  11. Olá Augusto:
    Vim responder o comentário que você deixou no meu blog.
    Já sei da sua preferência pelos gatos, rsssss.
    Mas assim como os cães, não creio que eles não sejam dotados de alguma forma de inteligência.
    Até porque, nós humanos, também aprendemos através do condicionamento.
    Além disso, o instinto de sobrevivência também está presente na história da "evolução" do homem.
    Aliás nessa história, os animais surgiram antes de nós, né.
    Creio que eles tem uma forma de "raciocínio" diferente de nós.
    Mas não vejo que possam por isso, ser considerados irracionais.
    Diferentes, sim, mas penso que eles tem uma forma de inteligência que ainda não foi totalmente estudada e compreendida pelo ser humano.
    Bjs.:
    Sil

    ResponderExcluir
  12. Olha vi toda reportagem pq não tinha utra coisa pra ver, e vc tem razão essa criança nem vai poder ser ela mesma, vai ser o que a família Real quiser,uma criancinha normal, igual as tantas que nascem por ai, mas sabemos que a realeza toda conta de td na vida dela .
    Quantos ao nossos vizinhos são gente que devemos abraçar com carinho pq faz pela nossa mãe o mesmo que fazemos...
    um bjão de friooooooooo
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde amigo Augusto
    Hoje venho abraçá-lo e prestar-lhe uma singela homenagem. “Você escritor é o artista que interpreta a vida através da arte. É quem borda com caligrafia dourada a emoção encadeada em cada verso, em cada palavra.” Parabéns escritor pelo teu dia!
    Beijos com carinho
    Gracita

    ResponderExcluir
  14. Estou te aplaudindo neste momento, disse tudo que penso e mais um pouco....povo esnobe, e como bem disse o que essa rainha e seus filhos e netos fizeram????? Lamentável.

    ResponderExcluir
  15. Oi professor, confesso que começei a ler lá na minha página mas como estava engraçado "Senti que ia desmaiar. Meu fígado tomou o lugar do coração e a fel queria sair pelos meus poros." vim ver o resto da conversa, desculpa mas foi impossivel não rir do começo do texto, muito bom kkk, o colapso biologico. Convenções sociais aparte e a vida das pessoas é assim essa desigualdade já ao nascer. Eu particularmente vejo que há certos estrapolamentos de conduta mundo afora, mas são todos iguais querendo ou não, são animais humanos!
    Uma otima semana.
    Tenha calma pra não atacar os orgão denovo, kkk. Muito bom.
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  16. Olá Augusto,boa noite! Estou aqui para agradecer e retribuir a sua adorável visita lá no blog. Também de aplaudo em pé, porque penso como você e fiquei estarrecida quando vi aquele povo todo aglomerado esperando pelo nascimento desse bebê...Parabéns por colocar tão claramente o que muitos de nós pensamos e nos revoltamos ao ver.Isso tudo é lamentável e triste.
    Abraços
    Marilene



    ResponderExcluir
  17. O texto diz sobre uma crítica a Familia real que foi passada na TV, e o autor do texto não concorda que os ingleses idolatrem ou gostem da Familia real, e que eles não servem de nada, mas...a familia real é uma grande renda que atrai turistas para a Inglaterra, com isso, trazendo lucros para o País.
    Nome: Victor 3ºB Nº38

    ResponderExcluir
  18. Ola Professor, Gostei muito das suas palavras, me identifiquei com o texto "e o mundo parou " lembrei de muitas coisas do meu cotidiano, e de alguns momento e comportamentos de familiares em minha casa quando reunimos ao final do ano. Agora irei sempre acompanha-lo, Meus Parabéns!
    Aluna= Juliana Castro, 2A n°16



    ResponderExcluir
  19. O domínio que a família real tem sobre o povo é demais, se bem que eles tem uma renda e uma boa parte vai para as famílias do país. Mas mesmo assim, ainda há pessoas que os idolatram e vão as ruas em forma de dizer que os amam. Acho bonito a família real, daqui do Brasil, só que alguns que moram lá não devem gostar muito..
    Letícia 3B 21

    ResponderExcluir
  20. De modo geral, as pessoas se prendem e idolatram á coisas tão "fúteis", como por exemplo a Família Real, que elas passam a viver em função de tal. Tudo que acontece com a Família tão idolatrado acaba mexendo com a vida e os sentimentos de quem as idolatra.
    E como no texto, também acho que as pessoas estão alienadas, e não percebem que tem famílias se formando ao nosso redor, que podem fazer muito mais diferença do que a tal Família Real"
    Julia 3B nº18

    ResponderExcluir
  21. O direito real é de todos os seres humanos, não de valor a um simples bebê inglês que é comum como todos outros bebês, vamos dar valor a humanidade e sem sermos influenciados pela mídia, vamos fazer o mundo o nosso castelo, onde todos tem o direito de ser da realeza. Alexandre Fernandes 2°A n°02

    ResponderExcluir
  22. Realmente professor, há pessoas que não existe nada que as compare. E a família real é simplesmente idolatrada demais , pelo fato de terem status, mas o engraçado é que as pessoas estão tão vidradas (alienadas) que não percebem isso. Vamos dar valor a humanidade, onde todos possam ser irmãos uns dos outros e assim podendo cada dia mais sermos donos do nosso próprio amanhã. Rithiele 2ªA nº 33

    ResponderExcluir
  23. O ser humano se diz mais inteligente, mais evoluído porém apenas tecnologicamente. Mentalmente o ser humano se torna cada vez pior, deixando se levar pela mídia, que quer implantar coisas em nossas cabeças e nos hipnotizar de uma tal forma que ficamos cegamente idiotas. Tantas outras coisas a nos preocupar, a dar atenção e até mesmo ajudar. Enquanto milhões passam fome uma nasce em berço de ouro e damos créditos a isso. O mundo tem que acordar, ultimamente estamos dormindo enfrente a televisão e levantamos do sofá sonâmbulos ainda, comentando e dando importância a coisas TÃO desnecessárias. Hellen 2°A nº20.

    ResponderExcluir
  24. Um ótimo texto professor! Ele mostra o quanto nós seres humanos damos mais valor a coisas "tolas" do que a coisas que realmente fazem a diferença em nossas vidas! O mundo para para que um bebê "Real" nasça más não para por uma manifestação sobre o aumento do salário dos professores! Isto é um absurdo imenso, pois mostra o descaso que a população faz, preferem ver um bebê "real" nascer do que brigar para que aqueles que constroem o ser humano, e seu futuro tenha um salário digno!

    Igor, nº11, 2ºB

    ResponderExcluir
  25. Um bebe real ? como assim ?. Então toas as pessoas , todos os outros bebes que vivem no mundo , país crescem , lutam por seus direitos e morrem são o que ?. eu acho que todas as pessoas têm o direito de serem considerados reis e rainhas não pelo motivo de terem nascido de sangue azul ou algo do tipo , más sim porque nós somos todos iguais 'seres humanos' . porém são as pessoas que atribuem ou favorecem para isso , porque se elas não dessem credito ou não ficassem venerados por alguém tão comum não seria dessa maneira :)


    Wagner 2º A

    ResponderExcluir
  26. vitória numero 35 2d professor eu leiu esse textos eu penso em mim

    ResponderExcluir
  27. realmente isso é verdade , as pessoas são odas iguais e ninguém pode ser chamado de rei somente pelo que nasceu .

    wagner 2º A nº 43 léa

    ResponderExcluir
  28. É dificil viver em um mundo de tantas tecnologias onde o verdadeiro valor humano é ignorado, onde o dinheiro sempre prevalesse, e pessoas ignorantes são encontradas em maior escala. O olhar superficial é fatal no meio de muitos, não sei como sera o futuro.
    Seria necessario uma lavagem cerebral nesse tipo de pessoas, seria necessario ensina-las o verdadeiro valor humano para que ocorresse uma mudança !!
    Parabens pelo pensamento prof.
    Natalia, 19-3°B escola Leticia

    ResponderExcluir
  29. Como você sempre diz nas suas aulas, o dinheiro tem comprado o mundo, e realmente é assim né.. Se você nascer rico você terá vários direitos de vida. Se nascer pobre terá de ser uma pessoa três vezes melhor para que se destaque entre as outras e assim conquiste um lugar melhor no mundo. Pode parecer ridículo e é, porém a verdade do mundo.
    GREICE JAQUELINE MARTINS DOS SANTOS 3°D NOITE.

    ResponderExcluir
  30. É uma pena que em um mundo em que a tantas coisas para sé apreciar, as pessoas simplesmente preferem ver o nascimento de alguém comum como qualquer outro, realmente ele não tem culpa, a culpa e da mídia em geral não só a da Europa mas de todo mundo. realmente o Mundo Parou!
    Alex 1, 1°b

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.