domingo, 5 de maio de 2013

Teclando


A foto lhe chamou a atenção.
Quem sabe não seria o seu Romeu?
Enviou-lhe um “Oi!” de prontidão
com a coragem que lhe acometeu.
Hesitou na mensagem que recebeu
E não soube conter a emoção.
Demorou a responder o que leu
na frase sem pontuação
e receou ser de baixo calão.
“Esta disponível como eu”
Era uma pergunta ou afirmação?
Salvo engano, o peito lhe doeu
No turbilhão que se sucedeu
e aplacando a primeira comoção
continuou o que se deu
sem alguma explicação.
“Sou livre!” afirmou com exatidão.
Talvez ele perceba quem sou eu
e mude sua errada impressão,
que se instalou e não valeu.
“O que faz, qual sua profissão”
O belo desconhecido escreveu.
“Sou professora de alemão
E dou aulas em um liceu.”
“Então e uma troglodita”, respondeu
sem acento e ponto de interrogação.
“Você quer dizer ‘poliglota’?!, rebateu
ela com até uma exclamação.
“Não sou ligado a religião”
E deu sequência ao que não percebeu.
“Só curto meu time do coração
e escreveu não leu o pau comeu”
“Explique o que não entendeu
E me diga qual a sua formação.”
“Me formei na rua, que nada me deu
alem de saber se virar com precisão”
Com o pronome se fora de colocação,
Um arrepio, seu corpo percorreu,
e não conteve o início da frustração.
Seu entusiasmo quase desapareceu.
Estou ligada a uma foto, remoeu.
Tudo não passa de imaginação.
Enquanto o outro não se convenceu:
“Ainda esta ai meu tesão”
Naquele instante tudo veio ao chão,
a vista lhe faltou e o céu escureceu.
O que antes lhe abalou o coração
era um fruto que não amadureceu.
Qualquer futuro laço se rompeu.
Deu-se conta da decepção
e o sonho de um amor esmoreceu.
“o que quer de mim minha paixão”,
insistiu o outro, sem expressão.
Ante a esperança que morreu
e seu estômago em convulsão
perdeu a rima e clicou em ‘sair’.




14 comentários:

  1. Oi querido Augusto!
    Simplesmente bárbaro! Me fascina tuas linhas poéticas oh grande filósofo.
    Em meio a tanta pontuação desconexa o amor que poderia ser lindo não aconteceu. Perfeito e adorável. Um deleite de leitura. Parabéns!
    Beijos da amiga que te admira D++++
    Gracita

    ResponderExcluir
  2. Oi Augusto!

    É engraçado o amor, ele acontece, muitas vezes por acaso, o meu aconteceu comum olhar que depois de um tempo morreu na praia, então, procurei alguém que gostasse mais de mim do que eu dele. Sempre com um pé atrás...rsrs.
    Os dedinhos no teclado decepcionam.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  3. Olá, Augusto!

    Que poema tão bem construído! É de mestre, te garanto.

    Você escreve, brilhantemente, tanto prosa, quanto poesia.

    Embora, eu não goste de poesia muito rimada, a sua, é de rima inteligente e esclarecedora (não deve existir este tipo de rima. Inventei, agora).

    Adorei a sequência das palavras, das ações e acontecimentos, e assim "Teclando" você saiu, sem rimar.

    Boa semna.
    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir
  4. Texto excepcional! Daqueles que valem colocar para a molecada interpretar, aliás, mais. Daqueles que valem pra banca se deliciar. Pensou em clicar em sair, a rima acabou. Parabéns Augusto. Tem algum e-mail que consigo entrar em contato? Estou pensando em colocar sugestões de blogs no meu site, mas preciso das permissões. Abraços, do amigo Diego.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde!!!

    ╬═╬ Descendo a escada pra dizer
    ╬═╬ Que lindo ,pena que não deu
    ╬═╬ Tempo de achar o amor
    ╬═╬ A rima ficou ótima,e clica
    ╬═╬ em na hora e sai, achei um arraso

    Bjusss de boa terça
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito do texto, verdade verdadeira, rs


    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Oi Augusto
    Fiquei "abismada" com o seu texto! Vc escreveu com uma maestria sem igual!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  8. Olá Augusto, parabéns pelo lindo poema, romântico e filosófico. Adorei!!
    Obrigada pela visita e comentário que deixou, volte sempre será um prazer. Abraçoss

    ResponderExcluir
  9. Olá profº Augusto, estou aqui para trazer o prêmio: Los Mejores Blogs. Vale a pena as regras são símples; responder algumas perguntinhas e escolher alguns blogs que se encaixem no perfil de blog de boa qualidade. Se estou aqui é porque o seu é um desses blog: De qualidade.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Obrigada pelos risos que esse poema fantástico colocou em meus lábios meu caro! Você tem o dom de transformar palavras em cenas tão vívidas! Eu pude ver uma mãos clicando no botão "sair" porque de fato nada mais restava a fazer!
    Abs
    Monica

    ResponderExcluir
  12. Bem escrito e divertido seu poema. Ela é uma pessoa de sorte, de ter se iludido com a foto de alguém com pouca inteligência para se expressar e poder cair fora o quanto antes.
    O foda é quando a pessoa tem inteligência e sabe manipular.
    Não sei se conhece o programa da MTV chamado Catfish. Recomendo.
    É baseado em histórias reais de "amores" virtuais, onde o criador do programa (que também foi enganado um bom tempo por um fake e seu documentário foi até premiado) ajuda as pessoas a conhecer seus "amores" virtuais.
    Rapaz... Você assiste e fica de cara!
    É impressionante como pessoas iludem e se deixam iludir por anos (sim, anos!), perdendo grande parte e oportunidades em suas vidas reais.

    ResponderExcluir
  13. A tecnologia, do mesmo modo, cumpre um papel essencial na formulação, das formas de ação da sociedade.
    Entretanto, Acima de tudo é fundamental ressaltar que, facilita a criação, dos índices e preocupações da sociedade.

    Victor Amadeus 2°B

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.