sexta-feira, 31 de maio de 2013

Ressintonia

Então a realidade se mostrou inconsistente e o tempo começou a se arrastar de maneira incoerente.
O espaço se alargou para além do infinito e, no vácuo que me senti pairar, só pensei em conter um grito.
O “não” foi tão repentino que parei de respirar e meu coração entrou em desatino.
Ante o vulto que se foi, restei parado, sem poder me movimentar. Tudo havia terminado.
Voltei para o real em desconforto, mas meus pés se recusavam a andar por aquele rumo torto.
Já em casa, com o sol se posto, não parava de pensar no meu desgosto.
Fui dormir sem ter me alimentado e logo comecei a sonhar com o que tinha se passado.
E, no sonho, como sempre, inconsciente, o “não” estava em meu falar para o vulto em minha frente.
Seu rosto se perdeu entre as imagens que começaram a se formar e aos poucos se desvaneceu.
Acordei com o sol bem alto e tentei do sonho recordar, mas tive um sobressalto.
O riso voltou naturalmente porque não tinha mais pesar e o espaço era presente.
O tempo nem precisou da lentidão necessária para me curar da ferida no coração.
No sonho, fui eu quem disse “não”, como se já me preparasse a terminar aquele enredo em contramão.

O dia mais belo e ensolarado me convidou a viajar, fui ao mar e lavei o meu passado.


13 comentários:

  1. Bom dia Augusto, que lindo seu poema/texto, sabe ao ler aqui me lembrei do meu poema postado hoje, foi assim tão rápido que me vi diante de um "R" aí inspirada escrevi sobre a realidade, real é a vida, mas acredito que é linda, fica melhor, bem mais leve.
    Que lindo seu poetar, amo demais o mar, sempre que quero me sentir bem corro ao encontro dessa imensidão de água, com sol então, é a perfeição!
    Lindo final dessa semana de feriadão meu amigo muito querido!

    ResponderExcluir
  2. Oi Augusto :)
    Gostei desse poema tão intenso.Muito bom!
    (Um dos meus preferidos até agora).
    A melhor coisa que existe é lavar o coração do passado,assim,o momento presente fica claro e abre caminho para o futuro...
    Espanar algumas lembranças desagradáveis,e deixar dentro da gente tudo arrumado é o que há de melhor!
    Abraços \o/

    ResponderExcluir
  3. Pesadelos que nos inquietam e é um alivio quando acordamos e vemos que já passou,já vivemos aquilo,aquela fase ruim...lindo seu texto!bjs,

    ResponderExcluir
  4. Oi professor!!! Muito bom o poema, saudades =).

    ResponderExcluir
  5. Olá Augusto, você é um grande escritor e o que escreve é com muita competência, inclusive seus comentários, pelos quais agradeço muito.
    Lindo poema, realmente, é muito bom quando percebemos que o que era ruim passou ou que só existiu em sonho.
    Um abençoado final de semana. Abraçoss

    ResponderExcluir
  6. Que coisa linda Guto, com certeza estava inspirado.

    ResponderExcluir
  7. Oi Augusto! Passando para agradecer a visitinha que fez ao meu blog,e dizer que fico muito feliz sempre que passo por aqui e vejo um texto lindo como esse,é mesmo muito bom acordar dos pesadelos.
    As flores de hoje também são maravilhosas.
    Ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
  8. Salve marujo intrépido
    que negou-se a aceitar
    que um não contivesse
    todas as formas de amar.
    Finda a revelação,
    vista a situação,
    ergueu-se da sombra
    em passos firmes,
    sorriu pra luz
    que lhe convidou
    a lavar a alma
    no dia que azulou.

    Fiquei inspirada por tua pungente prosa-poética, Augusto, tão bem cantada pela alma sofrida que se soergue corajosa reencontrando a esperança dum novo dia.Parabéns, meu caro poeta.
    Abraços e bom fim de semana.
    Calu

    ResponderExcluir
  9. Bela prosa-poética Augusto, como sempre escrita com uma desenvoltura ímpar! A metáfora é excelente! Eu porém já sou mais cautelosa, tenho um certo receio de lavar meu passado e perder a memória! :-)
    Abs
    Monica

    ResponderExcluir

  10. Olá Augusto,

    Seu texto me remeteu a um processo de meditação profunda, onde conseguimos repostas para situações de conflito, reequilibrando o nosso emocional. Expurgamos o que nos aflige e voltamos revigorados ao momento presente, prontos para alterar a rota, antes equivocada.

    E com o novo dia, o recomeço, livre dos fantasmas do passado e com o coração repleto de esperança.

    Muito lindo. Gostei demais.

    Ótimo final de semana.
    Obrigada pela agradável visita.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Augusto. Que maravilhoso texto,amigo!

    Seu blog é lindo e já o sigo aqui.

    Suas palavras no comentário que fez no meu foram de uma alma linda e que compartilha.

    Realmente estou recomeçando um novo blog depois de terem excluído o meu com 200 seguidores e 900 posts,na maioria textos meus.

    Recomeçar para mim é a palavra chave da vida e os amigos estão me auxiliando,voltando a seguir-me,comentando,prestigiando meus textos.
    Para mim é um desafio e nunca desisto.

    Seu blog estará na minha lista de favoritos e retornarei sempre que puder.

    Volte sempre que puder!

    Beijos e lindo fim de semana

    Donetzka

    ResponderExcluir
  12. Olá!Bom dia
    Augusto
    O coração pode ainda não ter se recuperado por completo. Mas, como vc bem disse,o tempo, talvez, nem precisará da lentidão necessária para curar a ferida no coração. Penso que quando, por vezes , tentamos refazer nossa vida, o passado já não importa. O que sonhamos.Não existe mais. A resposta para nossos sonhos será outra.
    Quanto mais o foco estiver na nossa atitude maior é o poder para fazer a diferença! Todos os dias, amanhecer e olhar a vida com a certeza que podemos sorrir,
    com transparência de alma, entregando o que passa no coração e despindo-se de medos...
    Obrigado pelo carinho da visita.
    Desculpe me pela demora em vir , é que estou meio "dodói".
    Bom final de semana
    Abraços

    ResponderExcluir
  13. Gosto demais desta "poesia corrida" tua. E sinceramente, falou muito de mim aqui. Não precisa elogiar, porque decerto já sabe que é um "puto" (no bom sentido) escritor. Obrigado por me permitir ler isto.

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.