sábado, 16 de março de 2013

Índia Tuíra


Em 1989, a Eletronorte convocou uma audiência pública para discutir a construção da usina Kararaô que, segundo os índios da região e o movimento ambientalista, causaria um grande impacto ambiental. A UHE Belo Monte - Kararaô é uma obra do PAC, localizada no Rio Xingu próximo a Altamira, estado do Pará. Essa construção recebia na época financiamento do Banco Mundial.
Durante a audiência, enquanto os guerreiros caiapós gritavam “Kararaô vai afogar nossos filhos!”, a índia Tuíra, mulher forte, inteligente e completamente indignada, tomou a iniciativa, avançou para cima do então presidente da Eletronorte, José Muniz Lopes, e o admoestou encostando a lâmina do facão em seu rosto. Falou, em sua língua, dos males que o progresso mal projetado pode trazer aos filhos da terra. O fato foi documentado e o mundo inteiro o assistiu e tomou partido daquela mulher guerreira.
Essa ação contribuiu para interromper o projeto da usina durante dez anos e também fez com que o Banco Mundial suspendesse o financiamento dessa construção. Agora, as obras estão lá. Os projetos iniciais foram totalmente alterados e a ideia é causar menos impacto possível, inclusive preservando as áreas indígenas. Os 25 bilhões orçados inicialmente já beiram os 40 e a polêmica continua. Mas o que fazer com os donos do poder?
É sabido que, à vezes, algumas pessoas, em momentos únicos, tomam a dianteira com bravura e mudam a história de um povo ou até da humanidade, um destino que estava prestes a acontecer se interrompe e o novo brota com vigor, onde, antes, era inimaginável. Tuíra merece o título de heroína, mas acabará como poeira jogada ao vento e alguns, de bolsos cheios, ainda se rirão dela. Tristes trópicos!



16 comentários:

  1. Mulher guerreira, nao sei quanto aos outros.......mas eu a reverencio...

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Oi amigo!

    Venho aqui te deixar uma palavrinha de ânimo para esse fim de semana:
    De repente, a vida te vira do avesso, e, assim você descobre que o avesso é o seu lado certo.
    Tem coisas na vida que às vezes a gente não perde, a gente se livra.
    Boa noite.

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto professor amigo Augusto, guerreira mesmo, amo ver histórias assim, amo saber que ainda têm pessoas capazes de morrer, se preciso for, por uma causa nobre!
    Tuíra merece sim o título de heroína, mas é bem assim como dizes!"Tristes trópicos"!!!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Parabenizo essa mulher que não
    pensou em defender muitooooo bem
    sua família, pq ninguém imaginou que
    ela sem muita cultura tivesse essa força....Ah se a maioria fosse assim
    Com vc disse-Tristes trópicos
    Abraços com carinho
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  5. Ola Augusto, desculpe a demora para retribuir sua visita, a tedinit piorou e estou evitando teclar, se bem que com os trabalhos da escola e as cadernetas eletrônicas(18), não tem jeito, tenho que organizar mesmo doendo muito.
    Quanto a sua postagem , como sempre você escolhe temas interessantes. Parabéns!
    Um inicio de semana na paz de Deus. Abraçoss

    ResponderExcluir
  6. Oi Augusto,td bem?!
    Eu não lembro desse acontecimento da índia Tuíra.
    Mas,que mulher destemida e guerreira!
    Certamente essa é uma ima­gem his­tó­rica na luta indí­gena.
    Tuíra pode até 'acabar como poeira jogada ao vento',mas fez a parte dela...
    Um abraço \o/
    Até!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Augusto!

    "Se Maomé não vai à montanha, vem a montanha a Maomé".

    Tudo bem?

    Desconhecia essa história de bravura e dignidade dessa mulher.
    Precisamos de mais como ela.

    Beijos da Luz.

    PS: novo post no "Afetos e Cumplicidades". Obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Ficamos nós entre a euforia e o lamento, nesta ordem pelos acontecimentos.Vibro em saber desta ação aguerrida de Tiúna e de seus resultados vitoriosos, ao menos temporariamente, mas me revolto sim, com as prováveis diretrizes que acabaram sendo adotadas pelos nossos podres poderes.

    Obs: compartilho contigo a tristeza pelos descasos das últimas 4 décadas com a valorização dos bons princípios e a aplicação deles.
    Boa semana.
    Abraços,
    Calu

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Augusto
    Tuíra é um exemplo de pessoa guerreira que possui uma postura ativa frente à vida, mesmo com resultados como os citados, tristes tópicos,encontrará um sentido para continuar vivendo e lutará sempre.
    Obrigado pelo comentário inteligente e pertinente em meu blog!
    Boa semana
    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Oi Augusto
    Belo texto, como sempre! Se não fossem essas pessoas corajosas ainda estaríamos na idade da pedra. Ontem assisti novamente aquele filme sobre o acidente nos Andes, onde os sobreviventes são obrigados a comer carne humana para viverem, por causa de um corajoso 16 sobreviveram, é sempre assim, alguém tem que se levantar!
    Bjos.

    ResponderExcluir
  11. Belissimo post, adorei conhecer a historia da india guerreira, fazem a diferença..
    Um abraço carinhoso

    Paty Alves
    Ágape Amor Verdadeiro
    Patyiva
    Vou Conseguir

    ResponderExcluir
  12. Eu me lembro de ter visto essa india na TV!Quanta força essa mulher tem! Espero que sua luta não seja inutil!Bjs e boa semana!

    ResponderExcluir
  13. Infelizmente, nossos heróis ficam cada vez mais esquecidos. Por que, ao que parece, o mundo quer promover um novo herói que é aquele que "traz a (in)felicidade": o Capital. Somente este que não vão querer deixar empoeirado. Este heróis é um panaca e de nada vale para Tuíra, e nem pra uma galera que oferece resistência à esse sistema em que vivemos, eu acredito num futuro diferente. Abraços Augusto! Diego.

    ResponderExcluir
  14. Olá Augusto.
    Adoro ler historias assim, de mulheres que fazem a diferença, pena que não são tão valorizadas pela sua força. Esta é uma verdadeira guerreira.
    Deixando meu carinho. Beijos.

    ResponderExcluir

  15. Olá Augusto,

    Graças a atitudes como esta da índia Tuíra muitos capítulos da história do mundo foram escritos de maneira diferenciada.
    Aplaudo esta forte guerreira e tenho certeza de que sua contribuição para seu povo nunca será totalmente vã.

    Ótimo dia.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. Olá Augusto. Certamente ela é um exemplo, principalmente no que diz respeito a não permanecer calado quando sentimos que nossos direitos são violados. Se todos tivessem a coragem dela, talvez o mundo estaria melhor... Abraço. Pedro R.

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.