domingo, 3 de março de 2013

A Nova Lua


A Lua, para um passeio, me convidou,
mas eu o aceitei um tanto desconfiado.
Primeiro que não estava enamorado
e resistente a galanteio sei que sou.

Fiquei ao largo dela, distanciado.
Ela, por seu lado, nem me olhou.
E por um canto da boca assim falou
com um fio de voz, entrecortado.

O homem de mim já se cansou
e já não sou quem embala o namorado.
Não sou mais a lua do passado,
a era do romantismo terminou.

Senti-me indiferente e culpado
ante o silêncio que entre nós quedou.
Meu coração por um momento parou
mas continuei no passo cadenciado.

Ainda sofro de solidão. Continuou.
Marte será o próximo visitado.
Depois, o espaço será ampliado
para o limite que nunca se imaginou.

Será um dia caso findo e explicado,
meu brilho, que a tantos encantou.
Será só saudade que em mim restou
o mistério daquele olhar marejado.

Nem sombra do que fui é o que sou.
Com tanto amor por mim inspirado,
nem um laço por mim lançado
num murmúrio se eternizou

O brilho artificial sacramentado
e o neon já há muito me ofuscou.
A magia que sentiu quem já amou
não passa de pieguice e algo superado.

Minha voz não se ouviu, não se soltou,
mas tentei falar, ainda ressabiado,
que o mal entendido era exagerado
e que não é esquecido o que se amou.

Mas ela insistiu no seu teclado:
Sob meu brilho, Euterpe já cantou
e Efrosine, embalada, acompanhou
com seu dançar mais inspirado.

Galileu, de me olhar, não se cansou,
Da Vinci não se foi com o céu nublado,
até Marx, com seu ar mal humorado
olhou para cima e se encantou.

Ora Lua! Você a dona do legado
que a humanidade jamais sonhou.
O que, do alto, testemunhou
é bem mais que o nosso passado.

Em todo o tempo que brilhou,
mesmo que o homem tenha mudado,
ainda comove o enamorado
e seu reinado não acabou.

Segue seu rumo, há muito traçado,
e não se entristeça com o que mudou,
pois o pouco do amor que restou
num coração fecundo será plantado.

Ah, meu amigo, meu muito obrigado!
Voltarei sem o véu que me toldou.
Sou grata pelo tempo que gastou
e do conselho bem pensado.

Ela se foi e um clarão forte anunciou
Um novo tempo. Fiquei parado
e meditei sobre o conversado.
Minha velha Lua se atualizou!


15 comentários:

  1. Lírico diálogo, este,
    que vc participou,
    ouviu da lua lamentosa,
    seus ais e os enxugou.
    Soube bem acalentá-la,
    devolver-lhe o viço,
    a confiança que
    por instantes a deixou.
    Ao poeta, agradecida
    volta ela ao firmamento,
    alumiando em alegria
    velhos e novos olhares
    que nela se inspirarão
    reacendendo amores
    em cada coração.

    Inspirada neste luar tão particular, deixei aqui meu encantamento como platéia deste tocante encontro.
    Abraços, Augusto.Boa semana.
    Calu

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Augusto, fiquei encantada com esses versos em diálogo com a Lua, nossa, a Lua, ah, pode tudo mudar, mas ela jamais deixará de encantar os enamorados, pois tudo muda sim, se moderniza, mas o amor e o romantismo nunca, embora a "velha" Lua, mesmo atualizada não muda nunca em nada, nem pode mudar, nem pode!!!
    Grande abraço!

    PS.Que bom que gostas dos meus poemas, sempre me sinto feliz e lisonjeada com seus amáveis comentários,obrigada!

    ResponderExcluir
  3. Belos versos amigo, imagina de qta coisa a lua já não foi testemunha, e até ela se atualiza rsr ! Abraçoss

    ResponderExcluir
  4. Oi Augusto :)
    Conversar com a lua é algo poético e inspirador.Mesmo ela sendo misteriosa foi capaz de confidenciar muita coisa hein?!
    A lua é soberana,mesmo se atualizando...
    Boa semana!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  5. OI AUGUSTO!
    UM DIÁLOGO ENTERNECEDOR, NA MEDIDA EM QUE A LUA, ESTA INSPIRADORA DE ROMANCES E DE POEMAS, SE SENTIU DESATUALIZADA E DE TEUS CONSELHOS SE SERVIU PARA QUE ISTO ACONTECESSE, MAS, CREIO QUE ASSIM COMO OS SERES HUMANOS, POR MAIS QUE MUDEM, AO SE APAIXONAREM, AGEM COMO QUALQUER ADOLESCENTE DE QUALQUER TEMPO.
    BELO TEXTO.
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

    ResponderExcluir
  6. Que bonito... a humanidade se transforma mas a admiração pela lua se perpetua, lhe rendendo homenagens de tempos remotos aos tempos atuais...

    ResponderExcluir
  7. Que maravilha narrada com a charmosa e encantadora lua...

    Belíssimos versos...

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Boa noite linda de Lua
    muito bom ler e gostar
    de falar com ela bem romântico
    Tava bem inspirado nesse dia
    Elogios pra vc
    Abraços com carinho
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  9. Como podemos viver nessas urgências, sem reparar mais na lua, tão nua, tão fantástica lá em cima?!

    ResponderExcluir
  10. Que lindo ainda bem que aceitou o convite especial! A Lua é mágica! Um abraço.
    Paty Alves
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, Augusto!

    Agradeço sua visita e comentário.

    A História faz parte de nós, da Humanidade.

    No teu bem estruturado e inteligente poema, chamaste a Mitologia para o "enleio", depois "caminhaste" para o século XIX e chegaste até à Idade Contemporânea, onde a tua CONVERSA com a LUA, agora MODERNIZADA, deu ainda mais interesse ao poema.

    Beijos da Luz.

    ResponderExcluir
  12. Beleza de diálogo entre professor e lua.Adorei.Beijusss.SU

    ResponderExcluir
  13. Olá meu amigo como estás?? a conversa com a lua sempre foi alvo dos poetas.. porque será?? talvez pelo seu brilho sua luz divina.. e como vc mesmo disse ela não muda aida que os homens venham a mudar..

    ResponderExcluir
  14. Que beleza de escrito Guto, até hoje apesar de toda tecnologia a lua ainda nos encanta.

    ResponderExcluir
  15. A Lua, "mulher de fases", está sempre mudando. Um tempo ela brilha imponentemente, noutro ela se esconde.

    Renan Coelho n°29 2°A

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.