quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Tamandaré


Dentre os caçadores do povo goitacás, Tamandaré era uma referência. Desde pequeno aprendera a imitar todos os animais de caça e encantava todos com suas demonstrações. Ele cresceu forte, casou-se e nunca deixou sua família passar fome. Quando saía para caçar, todos sabiam que a produção seria farta e sempre sobrava um presente para um ou outro. Alguns até deixaram de caçar esperando que alguma sobra caísse generosamente em suas mãos. E foi assim que muitos homens ficaram preguiçosos, bebiam muito, dormiam demais e brigavam pela comida que se escasseava na taba.
Tamandaré tentava demover seus amigos e os instigava a trabalhar, principalmente porque os tempos estavam mudando e os animais de caça estavam cada vez mais distantes. Porém, de nada adiantava e parecia que sua tribo estava fadada a desaparecer devido à preguiça dos seus companheiros.
Um dia, estando preocupado com o destino de seu povo, Tamandaré ficou muito assustado quando Tupã surgiu do nada em sua frente. O deus dos raios e trovões era tão majestoso que Tamandaré caiu por terra e ficou ainda mais apavorado quando a voz aterradora de Tupã soou. Ele observara que os homens não mais lhe agradavam e resolvera destruí-los e que ele, Tamandaré, deveria construir uma canoa de tamanho excepcional e nela colocar um casal de cada animal de caça, além de alguns homens que ele julgasse fossem capazes de recuperação. Depois faria chover e alagar toda a terra, para que tudo começasse de novo.
Assim que Tamandaré começou a avisar o seu povo sobre uma grande enchente que viria e a juntar troncos de palmeira para construir a grande canoa, passou a ser desconsiderado e troçado pelos beberrões. Mas ele seguiu as instruções de Tupã e, quando a canoa estava pronta, saiu pela floresta imitando os animais, conversando com eles e explicando o que deveriam fazer.
No dia esperado, os animais já estavam alojados na canoa. Quando Tamandaré subiu com sua família e fechou a entrada, ouviu o céu rachar de cima abaixo e um trovão ensurdecedor fazer a terra inteira tremer. A chuva se precipitou rapidamente e em pouco tempo sentiu que a grande canoa flutuava a esmo. E foram muitos dias apreensivos de fome e agonia em meio àquela chuva torrencial.
Quando percebeu que o céu se abrira e que a chuva se tinha ido, Tamandaré subiu no topo da canoa e só avistou água e nenhuma terra firme. Ficou desesperado. Foi quando teve a ideia de soltar os urubus, mas estes alçaram vôo e subiram acima das nuvens. Então soltou os colibris e eles voaram sem destino e também não voltaram. Soltou as juritis e elas voaram. Após algum tempo, como elas têm vôo curto, voltaram e trouxeram um ramo de palmeira. Então, Tamandaré dirigiu a canoa naquela direção e aportou no topo de uma montanha.
As águas começavam a baixar, os animais foram soltos e a família e os amigos de Tamandaré puderam vislumbrar uma nova terra, com árvores exuberantes e muitas frutas. E foi assim que a nova terra foi repovoada.

Obs.: O mito de Tamandaré é uma narrativa sobre um dilúvio que teria acontecido numa época remota e do repovoamento das terras pelos humanos, comum a perto de cento e sessenta culturas diferentes e de todas as partes do planeta. Quase idêntico à epopeia do Noé bíblico, objetiva reorganizar a sociedade através da destruição e reconstrução, da obediência, do trabalho e da condenação da iniquidade. Claro que tudo sob a supervisão de um deus onipotente. Além disso, toda semelhança não é mera coincidência!

12 comentários:

  1. Amei ler a narrativa e é mesmo assim, destruição e reconstrução sem fim sob a supervisão de um "deus onipotente", através do medo.
    Professor Augusto, é para se pensar, mas quem quer pensar?
    Leio a bíblia, não como religiosa, e aprendo muito mais do que muitos que vivem com ela debaixo do braço, gritando aos quatro cantos o poder do deus que castiga.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Oi Augusto, como vai ?
    Curti demais ,não conhecia esse mito,mas é uma história lindissima.
    Beijo no ♥!!
    Lilian – Blog:Duas Moças Prendadas!
    casascoisaseoutros.blogspot.com.br/
    Tá rolando sorteios, já participou?

    ResponderExcluir
  3. Augusto,que bonita história e não conhecia.Não há como não associar a Noé!Hoje vc está em meu blog tb:

    http://recantodosautores.blogspot.com.br/2013/02/o-que-e-o-amor.html

    obrigada!bjs,

    ResponderExcluir
  4. Olá Augusto.
    Adorei o post, sempre aprendendo por aqui.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. Oi Augusto
    Gostei da história! Vc contou com muita riqueza de detalhes!
    Bjos. Fique com Deus!
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Helllo teman, saya berkunjung disini.
    saya suka dengan Postingan disini sangat menarik sekali
    dan saya menyukai

    sepertinya ini cerita yang sangat bagus, sejarah lama tapi bisa menambah pengetahuan

    terima kasih telah berbagi

    ResponderExcluir
  7. Muito interessante... gosto de postagens como essa onde aprendemos algo.

    ResponderExcluir
  8. Não sabia quase nada sobre Tamandaré só que imitava os animais muito bem...gostei.

    ResponderExcluir
  9. Olá Profº Augusto, não conhecia o Mito de Tamadaré, muito interessante. Suas postagens são mesmo muito educativas, parabéns!
    Obrigada pelas visitas e comentários maravilhosos que valorisam as postagens, volte sempre. é um prazer tê-lo como seguidor e amigo. Abraços

    ResponderExcluir
  10. CONVITE: VOTAR NA MINHA POESIA
    Boa tarde querido amigo Augusto, neste visitinha venho te fazer um convite, conhecer o blog do Thiago, Blog Ô TROCIN BÃO, se ainda não conhece , vale a pena conhecer, se já é seguidor ou não, aproveitar para votar na minha poesia, pois estou participando da gincana que ele está realizado em homenagem a nós mulheres.Não sou poeta mas mim esforcei para participar e homenagear minhas amigas e todas as mulheres, afinal merecemos!!
    O link da postagem é: 2013/03/mulher-ser-abencoado-professora-lourdes.html
    Entre , deixe comentário e vote na minha poesia, na lateral do blog, é fácil , clicou no quadrinho, finalisa , clicando em votar. Ficarei grata!!
    Abraços , fica na paz de Deus.

    ResponderExcluir
  11. A humanidade acaba se acomodando e isso desagradou ao deus Tupã, sendo assim o mesmo julgou necessário uma reformulação da população. Podemos refletir essa história em nossas vidas usando como base o motivo de Tupã se revoltar com a população. Muitas das vezes nos acomodamos com a nossa vida,sempre batendo na mesma tecla e deixando de fazer tarefas esperando que "algo caia do céu".

    Eric Padula Lopes dos Santos Nº06 / 3ºF

    ResponderExcluir
  12. Beatriz Cristina N°04 3°F
    Tamandaré representa uma pessoa forte, trabalhador e de muito respeito a sua família e á todos, porém muitos esperavam pela sobra de sua caça. Então isso mostra muito sobre o nosso cotidiano, pois muitas pessoas sentem preguiça de trabalhar e procurar o melhor pra si, esperando as coisas de outras pessoas que trabalham e além de sustentar sua família, ajuda o próximo quando possível. Sem contar com a destruição e reconstrução sem fim.

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.