sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O ser interrogação


- S!             
É o que basta!
A orelha-parabólica se movimenta na direção daquele som e leva a cabeça, de roldão, numa torção rápida do pescoço-plástico.
É um som levemente conhecido.
Os olhos-tangentes se abrem e saltam para fora das órbitas-casulos e se movem mais velozmente que a cabeça-invólucro da placa pais – o emissor é desconhecido.
As narinas-cavernas se dilatam na velocidade do olhar-açor – algum cheiro característico pode estar no ar.
A boca-desejo se entreabre e avança além do rosto-efígie. Os poros cospem sal, água e gordura e o sangue se satura de adrenalina – arma-branca.
Aí, aquele ‘S!’ chega ao terminal do computador-neurônio, de infinita geração, e as respostas são formuladas antes das perguntas: Reconheço o som? O emissor? O vulto do emissor? Tem olhos? Tem boca? Característica? Era comigo? Foi engano? Respectivamente: sim, não, não, não, não, não, não, sim, ou seja, 10000001. O som era uma ilusão, não há um emissor-boca, nem molécula-cheiro, tampouco vulto-massa-cor-forma.
Agora é o nariz-leme quem puxa tudo de volta e comanda, segurando todo o peso do corpo-concretoarmado, cadenciando o andar-palmípede até que o olhar-rã se desacomode do horizonte.
O homem, elástica máquina-camaleão, produto da tecnoloucura? Que máquina é essa? Servivovertebrado, mamíferossonhador, últimoprimata, hominídeoambiguo ou tudo não vai além de um ‘S!’?

12 comentários:

  1. Aconteceu o estímulo sonoro ativador de todas as características compostas nos sentidos conceituais do espaço corporal.Terá sido aqui ou alhures(?) pergunta-se o mamíferosonhador, mas quem responde é o hominídeoambíguo:
    __ Foi apenas um "S".

    Senti nesse "S", muita satisfação em percorrer tua filosófica narrativa, Augusto.

    Em resposta: há pelo menos 30 anos que percebo o crescente descaso dos pais com a formação cidadã dos filhos.No ensino básico, esta situação é "useira e viseira", infelizmente.
    Bom fim de semana.
    Abraços,
    Calu

    ResponderExcluir
  2. Oi, Augusto!

    Não entendi o que pretendes dizer com o teu texto.
    Falas de tecnologia, mas afinal é apenas uma questão de "S"?
    Me explica, por favor.

    Soube através da Rita, sua irmã, que vossa mãe não está bem.

    Que Deus a melhore, sinceramente.

    Beijo da Luz.

    PS: depois, dá notícias, tá?

    ResponderExcluir
  3. Oi Luz! Apesar de ser uma animal e estar sujeito às leis da natureza, o homem está sempre a se completar, num processo sem fim, daí que é também um ser angustiado pela sua incompletude. Comparo-o com a tecnologia que ele mesmo criou para facilitar e atenuar sua existência, mas que dela se mantém refém e dependente. É um ser curioso, desejoso de conhecer e de se sobressair, de superar e de tomar de assalto a natureza, da qual faz parte e de onde advém. Daí, seu sonho e sua ambiguidade.
    Espero não tê-la confundido ainda mais. Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Augusto!

    Tua mãe, como está?

    Não confundiu mais, não. Tua explicação está perfeita.

    O Homem, as suas ambiguidades e controvérsias. Por mais que procure, invente e reinvente, será sempre, um ser insatisfeito.

    Bom fim de semana.
    beijo da Luz.

    PS: há novo poema no meu outro blog, que você ainda não conhece, acho eu. Se chama, "Afetos e Cumplicidades". Obrigada.

    ResponderExcluir
  5. Verdade, é o ser interrogação mesmo...
    Passando para agradecer seu comentário que com certeza fez diferença no meu dia. Um grande abraço, obrigada.
    Patrícia Alves
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com
    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi meu querido amigo!
    O ser humano é tão ambíguo quanto que este texto que fisofou tão poeticamente. Adorei ler! Fico super feliz quando você vai no meu cantinho. Você tem um carisma incrível. Augusto fiquei sabendo pela amada Rita tua irmã que a mamãe está enfrentando problemas de saúde. Desejo melhoras e que a saúde seja restabelescida brevemente.
    Meu carinho e um afago pra ela.
    Beijinhos de amizade
    Gracita

    ResponderExcluir
  7. Boa noite Augusto! Amo tuas postagens e esta me deixou curiosa e sem entender, voltei a ler com mais atenção e acredito que é a forma pela qual você destacou o ser humano com suas diferenças, um ser mutante, incompleto que busca a plenitude, muitas vezes por caminhos tortos, outras vezes errando mais que acertando, mas aprendendo.
    Uma linda noite e um amanhecer lindo anunciando uma semana de muita paz. Abraçoss

    ResponderExcluir
  8. O homem está sempre procurando reiventar o que já foi inventado. Na verdade é um ser de dificil compreensão na busca incansave de ser entendido.

    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Oi Augusto
    Nossa, vc é um escritor incrível. Eu sou muito falante, então já levei muitos ssss na vida kkkkk, quando era criança então, é inevitável, não consigo ficar calada, só se estou assistindo a um filme.
    Obrigada pelo carinho no meu blog, espero satisfazê-lo literariamente (será que existe essa palavra?). Melhoras para sua mãe.
    Bjs. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  10. Olá meu querido Augusto
    Vim te oferecer um selinho em reconhecimento ao belíssimo trabalho que realizas aqui em tua página. Sinta-se à vontade para aceitá-lo ou não. http://gracitamensagens.blogspot.com.br/2013/02/selinho-lindoooo.html
    Beijinhos com carinho
    Gracita

    ResponderExcluir
  11. Que texto, no começo não entendi .Mas vendo sua explicação melhorou
    Gostei como sempre..
    Abraços de bons sonhos
    Rita!!!

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.