sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Areia


Areia branca, branca areia,
onde a onda do mar penteia
os cabelos das algas do mar.

Branca areia, areia macia,
que a onda do mar acaricia,
beijando de leve, a repousar.

Branca areia, areia branca,
areia grossa que a onda espanca
com violência de furacão.

Areia quieta, areia fina,
onde a onda do mar se inclina
com tanta excitação!

Areia boa, areia gostosa,
onde a onda como rosa
desabrocha sua espuma.

Areia quente, fria areia,
onde a onda balanceia
água calma, alva bruma.

5 comentários:

  1. Bom dia e sábado de carnaval!
    Aqui lendo seus versos percebo o quanto é mesmo lindo e belo o mar e as areias revolvidas a cada momento, percebo isso todos os finais de semana quando me refugio em meu recanto para refazer minhas boas energias, adoro o mar e é lá que me inspiro ao escrever meus poemas!
    Lindo isso né amigo poeta?
    Grande abraço e bons dias de carnaval!

    ResponderExcluir
  2. Meu amigo querido!
    Quanta sensibilidade neste belo poema! Você é o mago da tessitura. Esculpe os versos com a maestria de um artesão. Parabéns meu amado amigo Augusto. Nem se você gosta de carnaval. Se gostar aproveite a folia mas se não gostar aproveite a natureza. Ela nos oferece a calma e tranquilidade. Beijos com afeto e carinho.
    Gracita

    ResponderExcluir
  3. Oi Augusto :)
    Fiquei me imaginando na praia lendo esse poema.
    O mar,a areia são fascinantes e tem belezas e mistérios.

    P.S: Muito interessante o post 'Transgressão'.
    Algumas vezes nos comportamos de maneira imprevisível,e optamos por uma má ação,porque o bem e o mal coexistem em nós...somos humanos!
    Abraços \o/

    ResponderExcluir
  4. Que indo esse poema
    parabèns pelo romantismo
    Eu gostei , nossa que famìlia
    linda de poetas,,,,,,,,
    Incliuive euzinha aqui

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.