segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Alienação religiosa


A palavra “alienar” vem do latim, dos termos alienus – “que pertence a outro”, e alius – “outro”, e significa transferir algo ou o poder sobre algo a outrem. Alienar, assim, significa tornar alheio, transferir para outra pessoa o que é seu.
Há várias formas de alienação: jurídica, mental, idólatra, na política, no trabalho, no consumo e no lazer. Na forma jurídica, a legislação que orienta sobre a compra, venda, doação ou troca de bens é garantida por documentos próprios, como escrituras, notas fiscais, títulos de propriedade e outros. Mesmo assim, muitas pessoas são lesadas nessas transações, seja por falta de malícia ou pura ignorância. Todas as formas são extremamente prejudiciais aos alienados, porque eles não sabem que assim são e porque são convencidos que estão certos em ser o que são. Acreditam, por força das ideologias, que o que sabem lhes basta, que o que têm é o que lhes cabe e que, se nasceram pobres, feios, negros, índios, brancos, doentes, neste lugar ou naquele, na mansão ou no barraco, pertencem a uma categoria determinada pela natureza ou por Deus. É como se Deus quisesse que fossem assim, que alguns sofram enquanto outros se divertem.
Acreditar em Deus é um quesito básico no julgamento das pessoas, como se o fato de elas acreditarem já bastasse para se tornarem moralmente corretas e éticas. Mas, sabemos que não é bem assim. É o mesmo que não gostar do pai ou da mãe. Geralmente, uma pessoa não confessa que não gosta de seu pai ou de sua mãe. Mesmo que todos saibam que há pais horríveis, que escravizam, agem com violência e até abusam sexualmente de seus filhos. Como o ‘pátrio poder’ delega aos pais o poder de determinar o destino dos seus filhos menores, acredita-se que Deus possui um poder sobre os homens, seus filhos espirituais. Desta forma, Deus se torna o ‘todo poderoso’, capaz de determinar ou de alterar o destino dos homens ao seu bel prazer. Como nem sempre essa determinação é benéfica e prazerosa, fecha-se a boca, pois falar mal de Deus não se deve, com o risco de ser socialmente julgado como ingrato, herege, blasfemo, pervertido etc.
A maioria das religiões prega que o homem possui o livre arbítrio. Então se pode deduzir que ele constrói sua própria jornada nesse mundo, que independem da vontade de Deus o bem ou o mal que lhe acometem, que não pode ser creditada a Ele suas desgraças e infortúnios. Já foi dito que os homens são ágeis em acusar, mas são lentos em agradecer.
Mesmo crendo que Deus seja o pai espiritual de todos e de tudo, muitas pessoas utilizam-se constantemente de expedientes escusos, transferindo o poder, que é divino, a entidades diversas, como santos, anjos, espíritos, demônios, duendes etc., acreditando que estas entidades sejam capazes de realizar feitos prodigiosos e, principalmente, de resolverem seus problemas do cotidiano. Discórdia conjugal, casamento, dívida, doença, perda de objetos etc., são os temas mais comuns que eles têm de resolver mediante uma reza, promessa, simpatia ou até mesmo uma chantagem. Se Deus é o todo poderoso, por que se recorre a essas práticas e qual a intenção de retirar o poder Dele e transferir a outro ser? A essa transferência de poder dá-se o nome de alienação religiosa.
Outras pessoas transferem a Deus a responsabilidade de seus atos ou sua incompetência em resolver simples problemas. É comum ouvirmos frases do tipo: “entregue nas mãos de Deus”, como se Ele estivesse aí só para cuidar das picuinhas humanas. Ou: ”Deus é maior”, como se Ele fosse vingar o mal que alguém recebeu. Ainda: “Deus é fiel”, como se Ele jamais abandonasse uma pessoa, mesmo que ela cometa os crimes mais atrozes, até o de cobrar para pregar as palavras que deixou aos homens. Esta é outra forma de alienação religiosa.

Obs.: Não confunda alienação religiosa com idolatria ou com mancia. Veja textos sobre os temas neste blog - marcador: Filosofia.

10 comentários:

  1. Oi Augusto
    Sabe, quando eu vi o tema, vim conferir porque sou cristã, mas não me acho alienada, apesar de até pouco tempo usar um chaveiro com a inscrita "Deus é fiel" kkkkkk. Acho que existe muita alienação por aí, e vai além dessas frases, eu sei do que estou falando, acredite, você tem razão quando diz que as pessoas "transferem" o poder de Deus para homens. As pessoas leêm o que Jesus falou e fazem o contrário simplesmente porque um homem com um título lhes falam para fazê-lo, infelizmente, e acham que estão fazendo a vontade de Deus, mas ainda bem que nem todos os cristãos são assim. Enfim, gostei do seu post.
    Bjos. Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  2. Hello my friend, I visited here, I really like this post, ...
    which obviously we are all human beings have a God, and all that is in the earth is God's love given to nature and people.
    a very useful post
    I like it
    thank you for sharing

    ResponderExcluir
  3. Olá amigo, gostei muito da cronica, verdade mesmo, mania que as pessoas e eu me encaixo nelas de achar que Deus é culpado de tudo que encaminhará tudo, que resolverá tudo, como se nós não tivéssemos responsabilidades sobre os nossos atos e as consequências deles! ótima reflexão! Abraçoss

    ResponderExcluir
  4. São tantos os meandros do espírito humano e maiores ainda são os ditames da existência.Dos estereótipos a fé inabalável, há mundos diversos que tentam explicar os mistérios da vida, confortar,assegurar proteção...e assim caminha a humanidade, em sua busca de amparo e a segurança de que não segue só, mercê dos próprios atos falhos.
    Tenha uma boa semana, Augusto.
    Abraços,
    Calu

    ResponderExcluir
  5. Olá, Augusto!

    Tinha já saudades suas!

    Seus textos, como sempre, são "diabolicamente" sagrados e profanos.
    Os meus poemas, o deixam continuar sorrindo, como que embalado e saboreando aquilo que já sucedeu, e seus textos, me deixam refletindo para além da leitura deles.

    E PENSO E PENSO, E SEI QUE EXISTO E SEI QUE VOCÊ ESMIUÇA, TOMA EM SUAS MÃOS O TEMA E O AFAGA, MAS O DESNUDA, TAMBÉM.

    E é tão bom, te ler! Aprendo sempre tanto com você.

    Todas as interrogações por ti colocadas são super pertinentes, mas, pra mim, DEUS É AMOR.

    Resto de boa semana.
    Beijo da Luz.

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Augusto!
    Desculpe minha redundância,mas suas crônicas são sempre ótimas.
    Esse assunto é amplo e interessante.
    Algumas pessoas querem que Deus 'resolva' tudo pra elas.
    A oração às vezes,é desculpa para a inércia...
    Abraços \o/

    ResponderExcluir
  7. É bem mais fácil deixar Deus resolver todos os erros que cometo né mesmo??
    Pois bem, Deus cuida de mim mas se não ir trabalhar não tenho como pagar minhas contas, o que posso pedir é saúde e disposição para o trabalho...mas como bem disse existem muitos alienados por ai, eu mesmo preciso refletir muito em cima deste texto.

    ResponderExcluir
  8. Augusto, gostei do modo como colocastes aqui o conceito de alienação, principalmente alienação religiosa.
    Não sou religiosa, creio em Deus, mas não fico a chamá-Lo em vão, tanto que até O deixo em paz, sim, Ele já sabe do que preciso e como sou, Ele me criou então digo"Ele que cuide".
    Agradecer é meu lema,costumo dizer "obrigada Vida" assim com "V" maiúsculo, eis minha oração, pois me sinto leve ao reconhecer as boas dádivas de existir e me sentir feliz com tudo o que tenho!
    Nossa, como é bom ler texto rico igual esse que postastes aqui!Parabéns!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito do modo em que foi colocada a alienação religiosa, que apesar de estarmos em uma outra época, nada muda, e muitos ainda continuam alienados de forma rigorosa.

    Larissa Rabanera, Nº 18 - 2ºB

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.