domingo, 16 de dezembro de 2012

Gravidez na adolescência.

Ao fazer o balanço estatístico das gravidezes acontecidas numa das escolas em que trabalho, nos últimos cinco anos (2.007-12), alguns dados são positivos e outros alarmantes. Venho fazendo campanhas sobre Orientação Sexual, com textos, exposições, palestras, relatórios e parcerias com a Secretaria Municipal de Saúde e Posto de Atendimento, com encaminhamentos de adolescentes (de ambos os sexos). Foi observado que o número de adolescentes entre quinze e dezoito anos que ficaram grávidas nesse período caiu de doze, para dez, nove, cinco e, por fim, quatro, num universo de aproximadamente setecentos e sessenta alunos do Ensino Médio.
No ano de 2.006, o número foi de dezessete alunas grávidas. Isso demonstra que uma orientação sexual bem dirigida, que inclui a importância da prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, da gravidez indesejada na adolescência, do uso de preservativos, entre outras questões polêmicas resulta positiva, além de contribuir para a superação de tabus e preconceitos ainda determinantes no contexto sociocultural brasileiro.
Contudo, no Ensino Fundamental, o número de adolescentes grávidas, entre doze e quinze anos, no período estudado, tem se mantido entre oito e dez. O universo, aqui, é de quatrocentos e cinqüenta alunos. Esse é o dado alarmante.
Não leciono para esse ciclo, mas ignorar os fatos, ocultar ou reprimir são respostas habituais dadas por profissionais da escola, baseados na idéia de que a sexualidade é assunto para ser lidado apenas pela família. Mas as famílias estão capacitadas para lidar com essas questões? Uma mãe foi chamada para uma conversa sobre a gravidez de sua filha de treze anos. A mãe tinha vinte e seis anos, ou seja, também engravidara aos treze. Alegou que sua filha era solta e que ninguém mandava nela. Que fora criada solta também e que aprendera tudo nas ruas. Explicando, ela não teve e nem delegou valores. Sua filha apenas seguiu o exemplo. Sic!
Um filho deve ser planejado e esperado, para que possa ser criado com todo amor e cuidados que ele requer. E, mesmo assim, não é fácil criar um filho. Quem os tem, sabe disso. Então, como essas meninas, que têm o destino interrompido com uma gravidez, que pouco ou nada sabem sobre a vida, podem criar um filho como se deve? Que futuro pode advir a essa mãe-menina e a seu filho indesejado? O ciclo vai assim se repetindo e muitos fecham os olhos, tapam os ouvidos e emudecem. Nenhum comentário.
Meu avô, um velho sábio, dizia que não adiantava querer aprender a nadar quando a água estivesse batendo na bunda.

36 comentários:

  1. Concordo com uma boa orientação os números tendem a cair, é um absurdo criança cuidar de criança.
    Parabéns por estar entre os vencedores da Primeira Edição Xícara de Ouro com certeza as indicações foram merecidas pois seu blog é excelente.

    ResponderExcluir
  2. Olá Augusto,

    Realmente preocupante, gravidez na adolescência é um grande erro, pois as meninas ainda nem aprenderam a cuidar delas mesmas, quanto mais de filhos.

    A educação vem de berço, pais sábios educam seus filhos sabiamente, pais despreocupados e inconsequentes, terão filhos inconsequentes...somos reflexos dos nossos pais, mas podemos melhorar sempre!

    Bjos

    ResponderExcluir
  3. Oi Augusto!
    Eu acho que a sexualidade não deve ser tratada somente pela família,pois dificilmente ela está capacitada para tratar desse assunto,(mesmo sendo instruída).
    E eu imagino que para as escolas,é um grande desafio também.
    Abordar esse tema,do ponto de vista biológico,social e cultural não é tarefa simples...
    Mas como os ciclos se repetem, alguém precisa se importar com os alunos.Muito bom quando a escola realiza essa tarefa com empenho e comprometimento.
    Parabéns pela postagem interessante e pertinente.
    Abraços \o/

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Augusto esse tema é muito bom
    pra ser discutido, gostei desse post
    e a gravides nessa idade não faz bem
    nem a criança né podemos chamar assim,nem mesmo aos pais que muitos nem sabe como lidar com isso
    Mas parabenizo vc por abordar esse tema
    Bjuss de boa terça
    Rita

    ResponderExcluir
  5. Augusto, texto reflexivo e educativo, sim, as escolas complementam a educação dada em casa, mas às vezes as crianças e adolescentes aprendem quase tudo nas escolas em questão de educação em todos os sentidos, inclusive educação sexual!
    É preciso sim orientar e fazer esses adolescentes entenderem a vida!
    Amo aprender com pessoas mais velhas, mas bem entendido, pessoas sábias assim como seu avô!
    Grande abraço meu amigo, também estou feliz em tê-lo como meu amigo viu?
    Feliz Natal e Ano Novo próspero, juntamente com seus familiares!

    ResponderExcluir
  6. Eu fico aqui pensando, como pode uma mãe achar natural dizer que "a filha é solta e ninguém mada nela" é apenas uma criança.. que como todas precisa de uma orientação, de um cuidado, de amor, de proteção.
    Eu sei que hoje a vida corrida faz com que muitas vezes deixemos que a infância de nossos filhos se vá antes do tempo, ainda mais quando não vivemos em uma família convencional "pai, mãe, filhos" quando somos mãe solteiras infelizmente os filhos tendem a amadurecer mais rápido, porque passar a ter mais responsabilidades, mas mesmo com toda correria, com todos os problemas não devemos nunca deixar de estar próximo, conversar, alertar, esclarecer, ser amiga.
    Uma coisa que acho muito importante, é tentarmos ser amigas além de pais, porque se os jovens encontrarem em casa pessoas dispostas e escutá-los, entende-los e aceitá-los eles com certeza se sentirão mais seguros em nos confiar seus medos, seus anseios, suas dúvidas.
    Sabemos que proibir não adianta, mas informação e confiança é tudo.
    Crianças gerando crianças é algo inconcebível, criar um filho é algo muito complexo e sem estrutura alguma é apenas jogar no mundo mais uma vida sem perspectiva nenhuma, tanto para essa jovem mãe, quanto para esse ser indefeso que chega sem ser planejado e muitas vezes chega sendo rejeitado.

    Um assunto para pensarmos e fazermos de tudo para muda-lo.
    Uma ótima noite viu?

    ResponderExcluir
  7. Oi colega obrigado por visitar o Arte de Educar, vim conhecer o seu blog, muito interessante, já estou seguindo, um ótimo final de semana.
    Realmente é um assunto que importante a ser debatido e refletido sempre.

    ResponderExcluir
  8. Olá meu amigo querido.
    Parabéns pela sua iniciativa em fazer palestras e prover ciclos de debates pois o assunto requer toda a atenção dos educadores. É preocupante ver as estatísticas. Como uma criança será capaz de educar uma outra se ainda está em fase formação. Parbéns pela excelente abordagem. Amigo Vim te trazer o link de um carinho que estou oferecendo a você lá no “Gostosuras e Sabores”. http://gostosurasesabores.blogspot.com.br/2012/12/um-carinho-de-natal.htmlVenha buscar o seu. Um beijinho com sabor de amor
    Gracita

    ResponderExcluir
  9. Augusto, bondade sua os elogios, fico lisonjeado com os mesmos. a proposta do blog é resgatar algumas coisas quase esquecidas, mas que fazem parte da nossa história.

    Com referencia ao tema do seu post, a informação é muito importante para prevenção em qualquer área. Infelizmente a maioria não pensa assim. As crianças e adolescentes quando bem orientados se tornam adultos muito mais conscientes. Quero aproveitar e lhe desejar um Feliz natal.
    Abraço,

    ResponderExcluir
  10. Visitando você para deixar meu recado
    bem especial, nesse maravilhoso final de ano.
    Porque já faz parte de uma amizade que admiro!
    …....... /)
    ……... ( , )
    ….….|░░░|
    ……..|░░░|☆ Boa tarde_(♥)_
    …..@|░░░|¸.¤“˜¨Vim deixar um abraço
    .¨˜“¤|░░ഐ¤ª@“˜¨¨Agradecer a sua presença e desejar um bom final de semana, e um Natal cheio de brilho
    …¨˜“გª¤.¸::¸.¤ª☆“˜¨¨.
    …¤¸*¸.¤ª“˜@¨¨¨***Abraços com carinho
    Rita!!!****.

    ResponderExcluir
  11. Olá amigo!Desejo a você um Natal iluminado de amor, fé e esperança.
    Um grande abraço.
    Valdete Cantú

    ResponderExcluir
  12. Olá Augusto!

    Eu acredito que quando os jovens recebem educação sexual nas escolas, eles ganharam mais responsabilidades e efectivamente, as gravidezes precoces e as dst's terão menos tendência ocorrerem.

    Beijinhos,

    Cris Henriques

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Olá querido professor Augusto. Pesquisando sobre gravidez na adolescência, tema que estou trabalhando com alunos do EJA, encontrou sua postagem. Como sempre, bem escrita.
    Realmente é um problema que não podemos deixar passar sem esclarecimentos, porque esses adolescentes correm ricos com as doenças sexualmente transmissíveis e uma gravidez indesejável, nesta fase de vida não é legal.
    Parabéns pela postagem.
    Obrigada pela visita, já estava com saudade dos seus comentários que são ricos em conhecimentos. Assim que melhorar da tendinite, voltarei e comentarei o outro texto.
    Abraços, uma linda tarde de Domingo de Ramos

    ResponderExcluir
  14. acho otima a ideia de fazer palestras educacionais, em relaçao a gravidez na adolescência, algumas adolescentes sao totalmente fora desse assunto. Acho importante conversar sobre isso tanto na escola como pais e filhos, algumas adolescentes acabam gravidas por falta de diálogo com os pais.Isso prejudica tanto a adolescente quanto a familia que acaba se interferindo na gravidez, muitas das meninas acabam fazendo o aborto por conta de rigidez dos pais. Acho esse assunto muito interessante parabéns pelos textos. Simone andrade 2ºA nº32

    ResponderExcluir
  15. bom! este texto me informou sobre a gravidez na adolescência pois eu nao sou mulher , mas isso serve pra mim também, e tirou muitas das minhas dúvidas e me deu um dos principais motivos onde isso ocorre ! Muito bom , continue com esse trabalho maravilhoso professor AUGUSTO! ass: EULLER!

    ResponderExcluir
  16. A gravidez na adolescência sempre é motivo de discussão nas famílias! Muitas vezes meninas novas ficam gravidas pelo fato de não terem informações e acabam fazendo um abordo ou mesmo deixando a criança em qualquer lugar, abandonando-a. Acho que o diálogo dentro de casa ainda é a melhor solução.
    Letícia 3B 21

    ResponderExcluir
  17. Isso é um bom assunto a questionar.Existem muitas familias que nao dão um bom exemplo para seus proprios filhos e isso pode prejudica-los no futuro. E a respeito do assunto da gravidez, entra o assunto de as futuras mães adolescentes querer o processo de aborto, e particularmente eu acho isso errado.
    Isso ainda é um tabu a ser quebrado!

    Igor 2A 22

    ResponderExcluir
  18. Achei muito interessante pois retrata muito bem os problemas que estamos enfrentando hoje em dia ! As familias tem que abordar mais este assunto com seus filhos , pois esta muito constante
    Parabens professor Augusto !
    Bruna Caroline e Hiago Sales 2°F

    ResponderExcluir
  19. Realmente este fato sempre preocupou a sociedade brasileira , e este assunto envolve todos os fatores voltado para a gravidez , como o estudo , a educação ,a formação familiar desta menina , pois não podemos apenas julgá-las ,mas sim analisar os prós e os contras contidos nesta gravidez , que muitas vezes se resolvem com o famoso método abortivo , que por sua vez é uma péssima solução !

    ResponderExcluir
  20. eu acho que deve a ver mais palestras sobre sexualidade e que também os próprios pais devem orientar seus filhos não só as coisas publicas isso vem da família principalmente.
    Giovana 2ºC nº18

    ResponderExcluir
  21. Cada dia se torna mais comum meninas em plena adolescência gravidas, em alguns casos por falta de orientação. Concordo plenamente com a atitude de alguns professores em esclarecer algumas duvidas dos jovens na escola sendo assim os orientando, pois na adolescência que começamos a ter mais curiosidade sobre a vida sexual e até mesmo a descobri nosso corpo. Apoio totalmente que esse tipo de orientação comece principalmente em casa; conversando com os pais sobre o assunto tendo um dialogo saudável, longe de qualquer preconceito ou ressentimento ao tratar sobre esse assunto.


    Suelen Ramos n°34 3°G

    ResponderExcluir
  22. Concordo, porque existem muitas meninas-mães que muitas vezes por falta de uma orientação acabam engravidando ainda crianças e cada vez mais a escola tem tido o papel dos pais de orienta-las antes de todos.
    Roberta N:34-2°A

    ResponderExcluir
  23. Concordo, porque existem muitas jovens,ainda crianças que por falta de uma orientação em casa acabam engravidando muito novas, que os pais acabam não tendo mais controle sobre elas e por conta disso fica pra a escola o papel de orienta-las.

    Ellen N:11-2°A

    ResponderExcluir
  24. Realmente este fato sempre preocupou a sociedade brasileira , e este assunto envolve todos os fatores voltado para a gravidez , como o estudo , a educação ,a formação familiar desta menina , pois não podemos apenas julgá-las ,mas sim analisar os prós e os contras contidos nesta gravidez , que muitas vezes se resolvem com o famoso método abortivo , que por sua vez é uma péssima solução !
    Isabela Rotondo Boni - n° 40 - 2°C

    ResponderExcluir
  25. A gravidez hoje está muito avançada na fase adolescente, muitas acontecem por falta de prevenção, por esconder dos pais o que faz, essas pessoas precisam ser orientadas,e se preocuparem com o futuro delas, não apenas em "diversão", somos jovens e precisamos ter um bom futuro, estrutura para ter familia um dia...
    Mas infelizmente acontece, temos que buscar ser felizes com tiver que ser.

    Nicole 2°D N°29

    ResponderExcluir
  26. realmente a gravidez na adolescência é um assunto muito complicado de se tratar pois envolve problemas familiares, de saúde e financeiros.Não devemos achar que é natural meninas de 12, 13 anos por exemplo já estarem grávidas sem ter qualquer tipo de orientação ou prevenção.Para mudar essa triste estatística a educação deve agir tanto com os alunos como com os pais que também tiveram as mesmas dificuldades no passado e não receberam qualquer tipo de assistência tanto familiar quanto escolar.
    Renan 2ºB nº41

    ResponderExcluir
  27. Eu concordo, mas muitas vezes a primeira vez não é tão especial, as vezes não sai como planejamos.''A sensação de não ser mais o mesmo e de pertencer a uma esfera maior e melhor tomou conta de mim e me deu segurança para seguir''. isso mostra também que os adolescentes de hoje querem fazer sexo cada dia mais cedo, eles não se conformam de terem uma certa idade e ainda não terem feito sexo. Muitas adolescentes acham que tendo sua primeira vez, já se tornam mais maduros, e com mais resposabilidade.

    Vitor Treve n°36 2°b

    ResponderExcluir
  28. É um assunto polêmico e inevitável, tem que investir muito mais na educação sexual nas escolas, e os pais devem orientar muito mais seus filhos.O adolescente não tem responsabilidade o suficiente para assumir os cuidados de uma criança, mas infelizmente esta sendo comum a gravidez na adolescência

    Gabriel N°16 2ªA

    ResponderExcluir
  29. Realmente uma gravidez é coisa séria. Um filho não é como uma boneca que você pode brincar e deixar de lado quando bem entender. Muitas vezes não é a falta de orientação, mas sim a falta de responsabilidade que causa a gravidez na adolescência, assunto de muita crítica deve-se ver antes se a gravidez foi ou não planejada, mas independente disso um filho é pra vida inteira, é uma vida. E deve receber carinho e ter uma boa qualidade de vida para crescer com amor e saúde.


    Caroline nº4 2ºB

    ResponderExcluir
  30. As meninas pensam que a gravides é brincadeira,só que sua liberdade acaba e as baladas,saída com os amigos também.pense nisso!

    Amanda N:2 2°C

    ResponderExcluir
  31. Gravidez na adolescência cada dia é mais comum jovens despreparados para uma responsabilidade tão grande,muitas vezes por falta de orientação e de diálogo com os pais.
    Wagner Santos 2°C - n° 37

    ResponderExcluir
  32. Gravidez na adolescencia parece que esta cada vez mais comum, quando aparece alguma garota gravida não é mais tão espantoso como era antes. Cada vez mais as meninas se cuidam menos. Por mais que neste caso tenha diminuido o numero de gravidas, no Brasil inteiro isto é cada vez mais comum. Garotas põe filhos no mundo e não estão nem ai, isso sim é uma triste realidade, pois como citado, um filho tem que ser criado com amor e cuidados necessarios.


    Nadine Mascia nº 28
    3ºB

    ResponderExcluir
  33. Hoje em dia os adolescentes são "inconsequentes" e se deixam levar pelo momento, e nessa inconsequência e irresponsabilidade, acabam fazendo a "besteira" de engravidar o seu companheiro.

    Belo texto, professor!

    Herbert 2ºg Noite nº 21

    ResponderExcluir
  34. Uma grande pena esses casos de adolescentes criando crianças, mal elas sabem cuidar delas mesmas quem diria de uma criança, que precisa de amor, carinho, educação e etc.A grande parte desses casos são de adolescentes que não tem um pai ou uma mãe para poder orientar e especificar como é a criação de um bebê e que não é uma simples tarefa, tanto que em alguns casos acabam cometendo aborto e etc... e a prevenção não serve só para prevenir a gravidez e sim tambem para prevenir doenças sexualmente transmitiveis.

    Gustavo 2ºD 11

    ResponderExcluir
  35. Hoje em dia estamos vendo meninas de 11,12,13 anos deixando suas bonecas de lado para segurar seus filhos. É uma cena triste que está virando cenário de muitas famílias , e nos perguntamos porque isto esta aconteçendo e são varias respostas, falta de orientação , de prevenção , e principalmente por falta de cuidado , muitos pais deixam seus filhos que ainda são crianças soltos por ai e ainda sem nenhuma informação , por axarem que são crianças demais e não vão fazer isso. Mas estão muito enganados , isto pode assim acontecer com seus filhos então ,conversem, forneçam informações , dêem a assistência de que precisam. E caso isto aconteça com seu filho , não o abandone nunca , pois o apoio é fundamental para o jovem nesta situação , o mundo dele já esta desabando e se houver criticas , ofensas e até mesmo agressões o jovem vai se sentir inseguro e podera até patir pro aborto.

    Renata N°28 2°B

    ResponderExcluir
  36. Pois é. Acho justo o assunto ser cada vez mais trabalhado dentro das escolas, afinal, várias adolescentes acabam engravidando muito cedo hoje em dia, seja por descuido ou falta de orientação. O problema é que nem todos os pais conseguem tratar desse assunto abertamente com seus filhos, alguns até tentam, mas nem sempre acaba sendo tão fácil.. já outros, simplesmente não permitem esse assunto dentro de suas casas, fazendo com que seus filhos "aprendam sozinhos", e isso começa a acontecer da pior forma. Sem contar o número de doenças que se pode contrair, não é fácil saber de todas, ainda mais sem a ajuda dos pais e professores. Enfim, o assunto não é nenhum "bicho de sete cabeças" para que fique sendo privado desse jeito.


    Izadora, 2B - 13

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.