segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Como é ser vegetariano.

Em fevereiro de 1.979, no café da manhã da república onde morava, havia, entre várias opções, presunto. Eu nunca tinha comido presunto. Animal ainda arisco que era e perdido na cidade grande, desconfiei daquelas fatias rosadas. Na roça onde morava, criávamos os frangos, porcos, peixes, patos e suas carnes eram frescas. Confesso que nem era apaixonado por elas, focava mais a bacia de salada de verduras colhidas na hora, que minha mãe não deixava faltar nas refeições. Mas, naquela manhã, entre a desconfiança e a curiosidade, preferi arriscar uma fatiazinha. Uma só. Para experimentar. Saber se o gosto era bom ou não. Assim que retirei a fatia de cima de um montinho bem arranjado para colocá-la dentro de um pãozinho francês aberto, percebi, já enojado, que não exalava um cheiro bom. A repulsa foi imediata e abandonei a fatia lá mesmo, acusando aos outros o odor estranho e nojento. Alguém pegou a fatia, cheirou-a e a comeu, deliciando-se. Desde aí, nunca tive vontade de participar dessa “delícia”. Até hoje, não sei qual o gosto do presunto. Atrás dele, as carnes vermelhas foram dispensadas sem remorso. Depois vieram as brancas e, por último, os peixes. Passei a me alimentar somente de vegetais, aprendi a conhecê-los melhor, balancear suas propriedades e como prepará-los e deixá-los saborosos. Também nessa época deixei os refrigerantes e até hoje não sei que gosto tem uma coca. A cerveja não me descia bem, daí foi um simples passo. Claro que me tornei um ser estranho para os carnívoros. Viam-me como um ser fraco, anêmico, que ia definhar até a morte, que precisava de “sustança” e se preocupavam comigo. Quando ia almoçar ou jantar na casa de alguém, exclamavam com os olhos arregalados: “o que vou fazer para você?”, como se a carne fosse a única opção. Segui firme e até hoje já se passaram trinta e cinco anos. Não fiquei um ser fraco, nem definhei, retirei todas as substâncias necessárias dos vegetais e continuam se preocupando comigo. Aprendi que a espécie humana é vegetariana por natureza e que aprende a comer carne, não por necessidade, mas por imposição. É sabido que os bebês não gostam de carne, mas que as mães vão introduzindo-a aos poucos e doutrinando, assim, o paladar, a ponto de acostumar o corpo deles com as proteínas prontas. Com isso, o corpo torna-se preguiçoso e passa a exigir sempre esse alimento, apesar de sua difícil absorção. Sendo assim, pode-se afirmar que comer carne é um dado cultural. Mas penso que esta é uma decisão pessoal e que os indivíduos são livres para ingerir aquilo que mais lhe apetece e, mesmo sabendo sobre isso e sofrendo certa pressão, não me tornei proselitista e nem defendo bandeira alguma, apesar de sempre militar pela causa dos sistemas em extinção. Sei que não posso conter a saga dos criadores, que devastam imensas áreas para transformá-las em pastagens, que degradam o solo, alteram o clima e destroem ecossistemas que levaram milênios para serem constituídos. Quando a nossa fauna compuser as páginas de um livro de animais extintos, talvez alguém ainda sinta alguma saudade. Há mais vacas no planeta que gente, e muita gente nem come carne, não por opção, mas porque não tem o que comer. Quando a hipocrisia do mercado, que não precisa ser escancarada, atingir seu auge, à Pandora não restará nem a esperança. Mas aí é outra história.

13 comentários:

  1. .



    Escrever é a resposta de
    quem muito lê, não é mes-
    mo Augusto?
    Ontem foi o dia dos pais,
    mas foi a mãe quem garantiu
    a festa.

    Confira no meu blog.

    silvioafonso








    .

    ResponderExcluir
  2. Oi Augusto :)
    Ser vegetariano ou não,é uma opção de vida.E escolhas merecem respeito.
    Alguns vegetarianos sofrem pressão por seguirem este estilo de vida,mas os carnívoros também sofrem uma pressãozinha básica por parte de alguns vegetarianos.Eu mesma já passei por isso.
    Mas eu não ligo.
    Acho a gastronomia vegetariana tão deliciosa quanto a tradicional,mas eu acredito que não conseguiria fazer parte somente da filosofia do vegetarianismo.
    Abraços!
    Boa semana!

    ResponderExcluir
  3. Boa noite Augusto!
    Amo ler as postagens escritas assim, com clareza e sinceridade, pois olhe, eu jamais faço comentarios pejorativos sobre as preferências alimentares ou quaisquer outras preferências das pessoas, pois cada um pode optar com liberdade, até gosto muito de verduras, legumes, não faltam em minha mesa, mas gosto de carne, com moderação, pois acredito na alimentação balanceada, mas como já disse, gosto de ler aqui, sempre aprendo algo bom,(também não gosto de presunto),nisso combinamos!
    Abraços meu amigo professor!
    Ivone

    ResponderExcluir
  4. Olá Augusto,

    Eu gosto de comer o que é bom, já provei muitos dos seus pratos e adorei!

    Cada um gosta do que gosta, não é? rs

    Bjos

    ResponderExcluir
  5. Quando fiquei anos sem comer carne vermelha lembro exatamente disso do olhar das pessoas me olhando como se fosse um e.t e dizendo o que vc come rsrsrsrs, vixe a lista era grande hem, batata, ovos, alface...ai diziam só isso??? Mas depois voltei aos poucos comer carne novamente, não sou obcecada posso ficar muito tempo sem, mas admiro que consegue mudar toda forma de alimentação.

    ResponderExcluir
  6. Olá Multiplicador, nossa visita é para agradecer pela divulgação que você está fazendo do “Educadores Multiplicadores”.

    Em breve (quando chegarmos a 50 blogs Multiplicadores), criaremos uma forma de colocar todos os blogs já cadastrados novamente ao topo das postagens (novidade), e este cantinho poderá estar incluso. Isto se ele também não aparecer no Top Caneta do mês, quem sabe!

    Muito obrigado por multiplicar os Educadores Multiplicadores (os blogs de lá).

    http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/

    Abraços, fique na Paz de Deus e até breve.

    ResponderExcluir
  7. Ser vegetariano ou não para mim não faz diferença, tem tantas coisas que a gente pode oferecer, é o gosto de cada um, eu adoro um bom churrasco, mas toda comida vegetariana está no meu cardápio tbém.
    Carne eu adoro....e aos vegetarianos
    parabéns pela escolha
    Abraços
    Rita!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Amei o teu texto!
    Decidi deixar de comer carne por questões ideológicas e está sendo bem difícil pra mim.
    Tão bom quando encontramos alguém com uma postura clara e firme sobre o tema, mas de ideias desvestidas de radicalismos e preconceitos.
    Foi muito bom te ler.
    Obrigada.

    Rosângela Cabral
    rocabral@terra.com.br
    São Leopoldo /RS

    ResponderExcluir
  9. Oi amiga, passei por aqui para lhe servir um cafezinho especial.
    Olha o cafezinho!!!
    Saindo fresquinho!!!
    Ele é feito com água da fonte da vida, fervido com fogo do Espírito Santo, misturado com pó da felicidade e adoçado com a doçura do amor, preparado pelos anjos do céu, servido especialmente pra vc.
    Bju
    http://cantinhodatoninha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Augusto,que excelente o seu texto,sempre muito esclarecedor para todos nós!Tem texto seu no meu blog Recanto dos autores.Postei ontem,mas só hoje tive tempo de te avisar!Obrigada por sua participação!bjs,

    ResponderExcluir
  11. Olá Augusto!

    Tudo bem?

    Obrigada pela visita.

    Gostei do teu ponto de vista acerca do vegetarianismo e do veganismo. Recentemente, houve uma bc no blog dos Escritos Lisérgicos, de Christian V. Louis, onde também participei. Este texto é da blogagem?

    Devido a problemas de saúde, estou a tornar-me vegetariana. Deixo aqui o meu texto para leres a minha participação e saberes um pouco de mim.

    http://oqueomeucoracaodiz.blogspot.pt/2012/08/2-bc-escritos-lisergicos-vegetarianismo.html

    Um beijo,

    Cris Henriques

    ResponderExcluir
  12. “O que vou fazer para você?”, sempre ouço isso. Ser vegetariano é uma honra e uma ideologia que eu sigo. Não é uma necessidade do ser humano comer carne, chega a ser egoísmo ele querer comer o animal pra passar sua vontade.
    Bianca, 2ºA, nº07

    ResponderExcluir
  13. e ser vegetariano deve ser muito bom
    tem mais possibilidade de comidas
    talita 2°A 36

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.