terça-feira, 10 de julho de 2012

Sou do tempo em que...

Sempre ouvia meus pais dizerem que na época deles havia mais isso e mais aquilo, que os avós eram assim e seus netos eram diferentes, menos isso e aquilo. Que precisava ser mais assim e menos aquilo para me parecer com os avós porque ser isso ou aquilo era o certo. Também ouvia dizerem que os tempos eram outros, que não se fazia mais isso e que não se respeitava mais aquilo. Diziam que tudo era diferente, que as coisas se tornavam mais fáceis e que estragavam as crianças, que tinham tudo à mão e não davam valor para nada. Diziam que tinham começado a trabalhar aos oito anos e que a juventude só queria sair e se divertir, que nem se importava com o batente. Viviam nos lembrando de agir assim, de levar aquilo, deixar isso, ir rápido e voltar logo, antes de tal hora. Algumas vezes me pego fazendo isso com os mais jovens, pois os vejo e cobro deles exatamente como meus pais me viam e cobravam. Acontece que cada geração é produto de sua época e que todas elas defendem os seus valores como se eles fossem os únicos corretos. A moral muda com o tempo, de região para região e de cultura para cultura. Algo que valia há um século, agora não vale nada, e coisas que não faziam sentido, agora passam a ter toda importância. Também mudam o gosto, as atitudes, o estilo de se vestir e se portar, a religiosidade, a família, a participação política, a permissividade e a repressão, os tabus e a liberalidade. Em todo o tempo, coisas boas e más, próprias da sociedade, coexistem com as pessoas e é muito comum elas compararem o passado vivido como se fosse melhor que o presente, pois observam que a geração que as sucedem possuem sempre mais regalias que elas tiveram, já que novas tecnologias acabam facilitado suas ações. Isso não apenas gera conflito entre gerações diferentes, principalmente entre pais e filhos, mas sempre deixa uma sensação que o pior vai vencer e a geração passada será vingada. Então, eu sou do tempo em que.... Bem, eu sou do meu tempo, como todo mundo é exatamente do seu tempo, sem isso e aquilo. Meu tempo é minha estada no planeta Terra, somada a tudo que aconteceu na humanidade antes de mim e todos os seus desejos e sonhos futuros. Enfim, eu sou do tempo do aqui e agora.

23 comentários:

  1. Adorei sua reflexão, confesso que sou saudosista mas no final esta certíssimo meu tempo é o aqui e agora.

    ResponderExcluir
  2. Oi Augusto.. como sempre.. Belo post..
    Lendo imaginei minhas filhas escrevendo sobre o tempo delas daqui uns 20 anos..
    E com certeza as minhas palavras também se repetirão, um pouco diferente, mas com os mesmos significado para elas..
    Um ótimo dia pra você..
    Sheila

    ResponderExcluir
  3. Lindo texto e verdadeiro defendemos o tempo em que vivemos mas mesmo assim creio que tivemos um período bem mais tranquilo que o atual, parabéns pela criatividade.

    ResponderExcluir
  4. Verdade mesmo nosso tempo é o hj e agora, mas muitas coisas a gente viveu, da saudade do tempo, pq eramos jovens, e concordo com vc .
    Fiz minhas lembranças, foi legal rir
    e recordar de algumas
    Abraços com carinho
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  5. Gostei muito do jeito que elaborou o texto.

    ResponderExcluir
  6. Verdade mesmo cada um fala que o seu tempo foi melhor, mas eu acho que antigamente era, mas adoro viver hoje em dia.

    ResponderExcluir
  7. É verdade somos produtos de uma época um texto maravilhoso.

    ResponderExcluir
  8. Um belíssimo texto gostei demais da forma que explicou, parabéns por esta visão.

    ResponderExcluir
  9. Oi Augusto,boa noite!
    Dá uma certa nostalgia,quando dizemos 'sou do tempo em que...',mas eu também me pego falando isso às vezes.
    Acho que vc sintetizou muito bem esse assunto ao escrever 'eu sou do tempo do aqui e agora'.
    Sua postagem me fez lembrar de uma música:
    'Eu sou do tempo do tempo
    Do exato momento
    Que o mundo explodiu
    Foi bom que existiu
    O Brasil da utopia
    Ah, eu era feliz, eu era feliz,
    Eu era feliz... e sabia' ♪♫
    Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Seu post foi profundo mesmo, adorei, parabens!!!!
    Postei atrasada dessa vez... Link - http://agape-amorverdadeiro.blogspot.com.br/2012/07/4-bc-cafe-entre-amigos.html

    ResponderExcluir
  11. Oi Augusto.
    Uma belíssima reflexão. Não acho que o tempo que passou possa ser melho ou pior do que o que vivemos aqui e agora. Cada época tem suas pecularidades. Claro que temos que valorizar o hoje, o momento presente, mas é gostoso rememorar alguns fatos. Não sou saudosista, mas gostei de ler e reviver fatos de outras épocas. Você arrasou com esta reflexão.
    Um carinhoso abraço
    Gracita

    ResponderExcluir
  12. Concordo que somos do tempo de hoje e do agora, mas sinceramente?
    Tenho saudades absurdas de antigamente...

    Bjos

    ResponderExcluir
  13. Augusto, seu ponto de vista é idêntico ao meu e eu cheguei a comentar em alguns blogues saudosistas, que o vício do ser humano parece ser condenar as gerações posteriores as suas. E como se tudo na época deles fosse perfeito, meninas brincavam de boneca até a adolescência, pode ser que algumas, mas sabemos que gravidez precoce não é um problema atual. Filhos tinham um respeito pelos pais e posteriormente pelos professores e, diga-se respeito, descrito como uma obediência cega, a qual eu duvido que não tenha sido somente mascarada. Pessoas que defendem o trabalho infantil e os espancamentos dizendo que "ninguém morreu" por causa disto e se eles tem um bom caráter é exatamente por este motivo.
    Enfim, não vejo nada demais em quem admira "seu tempo" (que interpreto como época da infância e juventude, visto que concordo que nosso tempo seja agora também, se estamos vivos, é nossa época), mas que subestimam as gerações que vieram depois. Criticam, embora desfrutem bastante dos avanços das mesmas ou caso contrário, ainda estariam dependendo dos Correios para se comunicar.

    http://escritoslisergicos.blogpot.com.br

    ResponderExcluir
  14. muito bom o seu texto. avanços e saudades de coisas que ficam. parabens pela idéia. abraços lamarque

    ResponderExcluir
  15. Adorei o texto e reflexão!! Concordo que defendemos o nosso tempo, mas ainda sim, nos adaptamos conforme a nossa realidade!! abraços

    ResponderExcluir
  16. Olá!Bom dia!
    Tudo bem?
    ah...sim..Sperchi, Araraquara,Sou do tempo que...confirmado:a "blogosfera" é pequena mesmo!rsrs
    Sua abordagem sobre este tema, foi muito diferente de seus amigos.
    ...penso que para compreender como uma geração difere da outra, é preciso que se perceba como cada uma delas forma um conjunto de crenças, valores e paradigmas, consequências diretas da época em que cresceram e se desenvolveram e entendê-las...esta percepção é meio intolerante e por vezes conflituosas... não conseguimos colocar-nos no lugar deles, nem eles no nosso... fica dificil o entendimento da forma como cada geração vive a vida...bastava o respeito mútuo...por isso, chego á conclusão que basta Viver a Vida,da forma que ela nos apresenta...Então, Sou do tempo do aqui e agora, também!
    Obrigado pelas palavras! Pela visita !
    Bom final de semana!
    Abraços

    ResponderExcluir
  17. Augusto, amo o tempo atual, embora sinta saudade do tempo em que parecia que todas as artes e todas as glórias dos "Anos Dourados" se firmavam! Romantismo, lirismo, criatividade de verdade, pois hoje muito se copia com outras roupagens,mas é mesmo o "hoje e agora" que importa, então vamos vivendo tudo o que "há pra viver", de preferência sem sofrer!!!
    Amei a forma como fizestes essa prosa!
    Obrigada pela visita e comentario no meu blog,estive de férias por alguns dias, com prazer de novo aqui, lá és sempre bem vindo!
    Abraços
    Ivone

    ResponderExcluir
  18. Olá Augusto, desculpe a demora p retornar sua visita, tenho uma amiga formada em Filosofia, admiro sua profissão, apesar de ter ficado por 3 vezes presa a uma matéria de Filosofia na Facul rsrsr minha alma loira de impedia de abrir a mente, mas isso é passado hj tenho mais tico e teco funcionando rsr ótimo texto, eu sempre ouvia minha mãe dizer que era do tempo disso e daquilo, e agora me pego dizendo o mesmo p minhas filhas affff, o tempo tem uma velocidade ingrata! Estou por aki agora! Abraçooss e volte sempre!

    ResponderExcluir
  19. Bom dia!Te convido a conhecer meus outros blogs:

    www.patyiva.blogspot.com
    www.tentardecoracao.blogspot.com
    www.agape-amorverdadeiro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Augusto,genial a sua inspiração!Afinal,o nosso tempo é aqui e agora,de fato!Bjs e parabéns pelo texto maravilhoso!

    ResponderExcluir
  21. Bom dia professor Augusto, vim agradecer sua visita e participação no meu blog, fiquei feliz que gostou. Volte sempre aquele cantinho é nosso e seus comentários serão importantíssimos.Gostei muito das suas postagesn e interessante quando você lembrou dos antigos valores que os nossos pais conservavam. Parece que com a modernidade muitos foram esquecidos, no entanto tudo faz parte de uma boa educação e o pior que essa falta reflete-se na escola.Postei na página de agradecimentos um mimo pra você, espero que goste.Seu blog será divulgado no meu, tenho selinhos, quando voltar se gostar fique a vontade para pegar um de lembrança. Um feliz Domingo, sucesso.

    ResponderExcluir
  22. Olá Multiplicador Augusto, esperamos que seu blog esteja colhendo os frutos da parceria com o Educadores Multiplicadores.

    Educador, queremos fazer um pedido: gostaríamos que você convidasse 5 blogs de sua lista de seguidores para conhecerem o projeto Educadores Multiplicadores.

    Só lembramos que os blogs devem ter conteúdos com FOCO EDUCACIONAL.

    Certo de sua atenção, agradecemos em nome de todos os Educadores Multiplicadores.

    http://www.educadoresmultiplicadores.com.br/

    http://www.marquecomx.com.br/

    Fiquemos na Paz de Deus e até breve.

    ResponderExcluir
  23. http://cicileydi.blogspot.com/2012/09/bol-tarif-icerikli-bir-post.html

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.