sábado, 2 de junho de 2012

A confiança conseva as borrachas.

Uma mãe muito ocupada com os afazeres domésticos observava de vez em quando sua filha fazendo os deveres da escola na mesa da cozinha. A proximidade da filha lhe parecia, ao invés de estar em seu quarto, que ela estava ali buscando a confiança e o apoio que fosse necessário, já que sempre a orientava nas tarefas. Porém, desta vez, notou que a filha escrevia e apagava constantemente, que ficava alterada e resmungava algumas vezes. Pensou em interferir, perguntar se precisava de ajuda, em se aproximar para lhe demonstrar que, por mais que tivesse serviço a fazer, também estava ali para lhe dar apoio e que confiasse nela. Sabia que ela tinha dificuldades em conjugar os verbos, concordar os pronomes e com a grafia de muitas palavras. Mas continha sempre aquele impulso involuntário de mãe zelosa e continuava com seu trabalho. Depois de horas de angústia observando a aflição da filha, viu-a guardar os materiais e separar a folha onde escrevera um texto de umas dez linhas. Aproximou-se, disfarçando a curiosidade de ler e orientar no que fosse preciso. Notando a proximidade da mãe, a filha guardou a folha e retirou-se para o quarto. A mãe ficou sem ação, mas respeitou o silêncio da menina. Alguns dias depois, vendo a filha fazer outras tarefas, lhe perguntou sobre o que escrevera naquele dia, se ficara bom e o que a professora achara. Então, após conter uma lágrima, a menina lhe contou que tirara nota baixa naquela redação. A mãe, olhou a filha nos olhos e lhe perguntou por que não confiara nela, por que não lhe perguntara algo e concluiu que nem tudo conseguimos fazer sozinhos, que devemos buscar sempre a ajuda das pessoas para superar as dificuldades e realizar as tarefas com mais precisão. Explicou que os erros acontecem quando não temos confiança nos outros e em nós mesmos. A borracha que estava usando apagava os seus erros, mas não corrigia sua atitude, pois insistia teimosamente neles. Que, se tivesse confiança em si mesma e na ajuda que sua mãe poderia lhe dar, teria errado menos e gastado pouco a borracha. A menina apertou os olhos, fitando a borracha gasta. Então a mãe continuou comparando que a confiança era como uma borracha, que diminui a cada tentativa de concertar um erro, que ninguém é tão sábio para não precisar da ajuda dos outros e que ninguém é tão ignorante a ponto de não poder ensinar alguém. A filha não disse nada, pegou a borracha e olhou-a fixamente, esboçando um sorriso. A mãe ficou satisfeita porque aqueles olhos demonstravam que a filha tinha aprendido a lição.

16 comentários:

  1. Que profundo esse texto Augusto
    lendo a gente pode refletir
    Eu pelo menos adorei, a comparação
    fez ver tudo..que bom aprender com
    a lição da vida
    Deixo um abraço de bom domingo
    Bjuss
    Rita!!!!

    ResponderExcluir
  2. Na vida temos que aprender a pedir e ajudar o próximo,porque um dia nós vamos precisar de ajuda do outro.OTONIELab

    ResponderExcluir
  3. A confiança é como uma borracha mesmo,só que também devemos ter cuidado em quem confiar...Mas sim quando alguém pedir ajuda,ajude-o pois um dia se você precisar essa pessoa te ajudará...Vamos começar a fazer mais amizades.
    ARIANE-2°Cab

    ResponderExcluir
  4. Dizer o que depois disso:

    Então a mãe continuou comparando que a confiança era como uma borracha, que diminui a cada tentativa de concertar um erro, que ninguém é tão sábio para não precisar da ajuda dos outros e que ninguém é tão ignorante a ponto de não poder ensinar alguém.

    ResponderExcluir
  5. a mãe dela deu um exemplo de vida a sua filha, que nem sempre podemos e devemos fazer as coisas ser pedir ajuda de auguem, pessoas erram e normal erra é humano mais com a ajuda de aluguem se erra menos sempre devemos pedir ajuda as pessoas e nao ter vergonha de perguntar.


    WENDER HENRIQUE P. GOMES N° 33 2° C AB.

    ResponderExcluir
  6. È um não intendi muito bem mais gostei um dá para refletir muito, pensa mais um pouco antes de qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  7. Um pessoa com sabedoria faz toda diferença. Parabéns pela divulgação nos Blogueiros que Pensam os links escolhidos são maravilhosos.
    Vc vai dar o selo para os seguidores, se for pego aqui ou lá?Ficou lindo demais se for usar ele como link-me me avise que coloco na minha página.

    ResponderExcluir
  8. É um texto interessante fala sobre o convívio de pais e filhos que os pais tem que se aproximar para terem a confiança de seus filhos, foi interessante colocar a borracha pra significar a confiança. Amanda 2°C Américo brasiliense

    ResponderExcluir
  9. Gostei muito desse texto fala da aproximação da mãe com a filha acho que todos pais tem que ser assim ter palavras sabias de conforto a mãe mostrou que ela tinha que confiar mais por a borracha era que nem a confiança a cada erro ela iria ficando menor e a confiança é assim mesmo. Helena 2C ab

    ResponderExcluir
  10. Bom dia Augusto, que lindo texto, me transportou ao passado, lembrei-me que minha mãe não sabia me ajudar nas lições e eu tive de me esforçar sozinha, "haja borracha", mas me saí bem.
    Lembrei-me de minha filha que sempre a ajudava e mesmo assim ela sempre se sentia insegura,até que um dia eu a deixei se "virar sozinha" e foi o maior sucesso, pois no subconsciente dela ela sofria em não poder fazer tudo sozinha, hoje ela é bem independente e não pede e nem deixa que a ajudem.
    A vida é e sempre foi uma incógnita, nem sempre sabemos qual caminho seguir, mas como no texto, temos sim que pedir ajuda, mas se pudermos fazer sozinhos, melhor!!!
    A mensagem de amor foi linda, muito linda!
    Abraços meu novo amigo e obrigada pela amável visita e comentario em meu blog,sempre és bem vindo,amo trocar ideias!
    Ivone

    ResponderExcluir
  11. Esse texto ensina que muitas vezes não confiamos em alguém e acabamos passando por dificuldades e errando. Ele mostra que devemos confiar e pedir ajuda quando precisarmos, e também ajudar alguém quando for preciso, essa é uma forma de aproximação,e que foi usada pela mãe.
    Josiane - 2ºA - AB

    ResponderExcluir
  12. A vida não é facil.Tem momentos em que erramos que nem a borracha pode apagar as atitudes e nosso comportamento. A mãe deu um grande exemplo pra filha mostrando pra ela de uma forma especial o caminho certo e o que fazer

    Regiane 2d AB.

    ResponderExcluir
  13. todos nos erramos e precisamos de ajuda e a mãe mostrou que se ela ''tivesse confiança em si mesma e na ajuda que sua mãe poderia lhe dar, teria errado menos e gastado pouco a borracha'' .o texto também traz a confiança que deve existir entre pais e filhos

    Mirele 2ºB A.B

    ResponderExcluir
  14. Muitas vezes passamos dificuldades mas não pedimos ajuda por ignorançia,e acabamos errando muitas vezes.Devemos confiar mais nas pesoas para não acabar errando tanto.
    Arielly 2°D AB.

    ResponderExcluir
  15. Aprendemos com os nossos próprios erros e que precisamos dos outros e eles precisam de nós.Não devemos sermos orgulhosos e pensarmos em nos mesmos em quanto outras pessoas estão precisando de nós.

    Leonardo Rios Vicente n°28 2°A AB

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.