domingo, 3 de junho de 2012

As folhas secas lhe incomodam?

Ao entrar na casa recém adquirida de um renomado arquiteto, ela começou a percorrer os aposentos espaçosos, sonhando com a decoração que faria em cada um. Adorou a disposição deles e prometeu a si mesma que pouco levaria da antiga mobília que lhe servira por alguns anos. Tinha bom gosto e saberia transformar aqueles espaços cheios de eco em ambientes personalizados e aconchegantes. O marido a perseguia tentando dar sugestões aqui e ali, mas ela não lhe ouvia, embalada pelas mil ideias que lhe vinham em turbilhão. As três crianças correram para o quintal e tentavam abraçar uma velha mangueira, que estendia suas ramas até os limites do alto muro. Assim que chegou ao quintal, nem olhous para a mangueira, mas para as folhas secas que forravam boa parte do terreno. Naquele momento pensou na recomendação que o arquiteto fizera ao casal de que não deveriam mexer naquela árvore. Ela deu de ombros, entrou e voltou a sonhar. Após um mês, a decoração estava terminada, a família devidamente instalada e ela sentiu-se realmente em casa.. Numa tarde de verão, resolveu terminar de ler um livro num banco de madeira que ficava embaixo da mangueira. Sentia uma imensa paz naquela sombra e pensava na felicidade que aquela casa estava proporcionando à sua família, quando uma folha seca trazida pelo vento resvalou em sua face. Apesar de o quintal estar bem varrido, pensou na intromissão daquela folha. Como ela deturpava todo o ambiente. Olhou fixamente para as ramas e foi então que percebeu que elas estavam repletas de mangas já bem granadas. Os dias passaram, as mangas amadureceram e todos se deliciaram com aquelas frutas doces. Mas toda vez que ia ao quintal, não continha a raiva que sentia ao ver folhas secas espalhadas por toda parte. Então, dirigia um olhar acusador para a mangueira e desejava que ela não estivesse ali. Convenceu o marido de que deveriam se livrar dela, pois ocupava quase todo o quintal e ainda fazia uma sujeira danada. O marido lhe lembrou as palavras do arquiteto, de que não deveriam mexer naquela árvore quase centenária. Mas a insistência da esposa se prolongou por vários dias, até que ele chamou uma equipe de lenhadores para retirar a mangueira. De seu quarto, ela ouvia o barulho medonho das motosserrras fazendo o trabalho. Nem ousou ir lá e ver suas ramas despencarem e seus grossos galhos serem transformados em pequenos toros. Pensava nas folhas secas que não mais veria em seu quintal. Os lenhadores demoraram bastante, mas ao final do dia o serviço estava completo. Carregaram as ramas, os toros, o tronco gigantesco, rastelaram o terreno e deixaram apenas um imenso vazio. Ao avistar aquele vazio, ela não conteve uma lágrima. Parecia que sentia que ele dominava o seu interior e que estava até sentindo saudade daquela sombra. Mas já era tarde demais. Recompôs-se, entrou, ficou em silêncio e tentou não pensar mais naquilo. Nos dias seguintes, notou que as crianças só brincavam dentro de casa e desarrumavam tudo. Diziam que não suportavam o sol que fazia no quintal. Também percebeu que, por mais que abria as janelas, não era possível deixar a casa fresca. Seu marido reclamava que o calor era insuportável. A casa tão aconchegante transformara-se em uma sauna. Começou a lamentar-se por não ter mais aquela sombra e ter ler em seu quarto. As palavras do antigo dono começaram a martelar em sua consciência. Então percebeu que elas eram sábias, mas o estrago já estava feito. Por causa de algumas folhas secas não teria mais o aconchego, aquela sombra tão generosa e aqueles frutos maravilhosos. Sacrificara aquele ser tão magestoso por conta de uma antipatia infeliz. Sua família ficou insatisfeita com a casa e irritada com o calor dos verões e com os ventos gelados do inverno. A insatisfação contaminou tudo e azedou as relações. Nunca mais foram os mesmos.

32 comentários:

  1. As vezes por conta de uma birra, nos arrependemos amargamente...

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Ai que triste. E que coragem, nunca teria coragem de mandar cortar uma árvore.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Todos nós carregamos nossas folhas secas... É muito triste quando somos descartados por causa delas.

    Cheguei até aqui, gostei e fiquei. O meu desejo é que estejas gozando das bênçãos de Deus para sua vida.
    Abraços fraternos

    ResponderExcluir
  4. Ai meu Deus que coisa chata heim
    As trágicas folhas me dão nos nervos
    ms vc sabe do que to falando né

    Parece que é através dessas coisas
    que muitas pessoas sobrevivem,onde
    tem a beleza das arvores tem as folhas secas!

    Eita dona mãe que não se conforma
    com as caidinhas no chão.

    Bjuss de boa quinta
    Rita!!!!

    rsrrs

    ResponderExcluir
  5. Oi professor , que texto lindo , eu gostei desse texto eu sou prova disso meus avós tem sitio , e as árvores de manga são ''tudo'' lá portanto ninguem da nossa familia furtado gostaria que as árvores que dão a sombra pro terreiro do sitio do meus avós que cortassem elas , adorei o texto. Ana Furtado 2º ano B - Araraquara

    ResponderExcluir
  6. Lindíssimo texto, a vida é feita de momentos bons e ruins exatamente para podermos dar os devidos valores aos bons, isso é discernimento.
    A protagonista da prosa não teve discernimento, foi isso, pagou caro!
    Abraços e amei aqui, já estou seguindo!
    Ivone

    ResponderExcluir
  7. É melhor obedecer do que sacrificar.OTONIELab

    ResponderExcluir
  8. Ola,linda e comovente história.Adoro folhas secas,no tempo que eu morava numa casa,meu jardim era repleto de folhas secas,parecendo até um tapete alaranjado estendido pelo chão.Um grande abraço e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  9. Ola!
    Vim retribuir a sua visita e conhecer o seu blog!
    Eu gostaria sim que vc me mandasse fotos e dicas de cultivo e se vc aprovar posso colocar em meu blog!
    Abracos!
    http://chacrinharosa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi Augusto :)
    Boa noite!
    Obrigada por sua visita e comentário.
    Vim conhecer seu blog e adorei suas
    postagens enriquecedoras.
    Pôxa,que pena a mulher ter se incomodado com as folhas secas...
    a árvore foi cortada e todos ficaram no prejuízo.
    O arrependimento só anda atrás mesmo...
    (Tem uma árvore no meu quintal,e no outono, as folhas caem o tempo todo,dá uma trabalheira danada,mas fico deslumbrada ao olhar a beleza dela e a sombra majestosa que ela produz).
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Nessa terça feira 12 de Junho é um
    dia especial, para os eternos namorados
    Desejo a vc um dia feliz com todo amor
    que vc merece.
    Fotos , imagens,textos poesias, deixa a vida
    mai bela.. por isso vim deixar meu abraço
    com todo meu carinho
    Felicidade hoje e sempre
    Bjusss
    Rita!!!!!

    ResponderExcluir
  12. Obrigado a todos pela participação e pelos comentários. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  13. esse texto é interesante e muito informativo.Gosto muitos do seus texto porfessor augusto que voce sempre faça esse texto legais

    richard2Cab

    ResponderExcluir
  14. Oi Augusto, adorei o texto,
    nem acreditei quando comecei ler, eu tenho uma história com uma árvore lindíssima mas que está nesta estação do ano fazendo a maior sujeira aqui em casa, isso me incomodou por anos,agora não ligo mais pras folhas caídas, nem limpo neuroticamente, agora estou valorizando a sombra e as flores amarelas lindíssimas que caem e forram a rua de um tapete amarelo. acho que me dei conta a tempo do que tem mais valor.
    Obrigada pelo seu lindo comentário.
    abraço

    ResponderExcluir
  15. Maravilhoso texto, do jeito que sou acho que teria feito o mesmo que ela, e depois olha o arrependimento.
    O texto me fez refletir e muito.

    ResponderExcluir
  16. a mulher fooi burra ella prefiriu cortar a arvore passa calor e frio do q limpa um quintal e fica tranquila em uma casa bem arejada, e quando si deu conta de que feis a maior burrada da vida dela ja era tarde o estrago ja estava feito nao tinha mais como vouta atrais.

    WENDER HENRIQUE P. GOMES N° 33 2°C AB.

    ResponderExcluir
  17. Augusto segue abaixo o link de divulgação do seu blog, obrigada pelo carinho e confiança.

    http://www.blogueirosquepensam.com/2012/06/blog-saber-e-preciso.html

    ResponderExcluir
  18. É o que estamos fazendo ultimamente com as nossas arvores. estamos desmatando tudo e esquecendo do bem que elas fazem. As cortamos só porque sujam muito, ou porque estão no meio do caminho.podemos nos arrepender depois quanto o ar não tiver tão puro , quando a poluição tomar conta , ai sentiremos falta daquelas arvores
    Mirele 2°B-24 AB.

    ResponderExcluir
  19. Esse texto é um texto que serve pra ensinar e sugerir, porque tipo na mesma hora que há incomodava depois sem ela a mangueira era muito ruim e também tiro ate a felicidade das criaças e da familía. È um texto muito bom

    ResponderExcluir
  20. Uma pena mesmo o que ela fez, isso retrata o como muitos agem no seu cotidiano.
    Quando damos atenção a pequenas coisas deixamos de ver o que verdadeiramente importa.

    ResponderExcluir
  21. Esse texto também é muito interessante a mulher irritada com tantas folhas mais que ela poderia limpar e continuar a vida boa que tinha ela decidiu tirar a arvore e deixar uma casa calorenta que trazia conflitos entre a família alem dela escutar as palavras do arquiteto não se deixou levar por uma coisa só que sujava mais tinha outros benefícios. Amanda 2°C Américo brasiliense.

    ResponderExcluir
  22. è muito interessante esse texto mostra que tem que pensar bem antes de fazer alguma coisa ver quês benefícios os trais e escutar quando alguém o fala alguma coisa a mulher pensou só na sugeira não pensou na sombra e nos frutos gostosos e outros beneficio. Helena 2C ab

    ResponderExcluir
  23. Parabéns pela divulgação nos Blogueiros que Pensam, esta postagem é muito profunda nos leva a pensar nas futilidades em que focamos nossa vida.

    ResponderExcluir
  24. Muito boa reflexão.. muita das vezes fazemos birra por causa de coisas tão insignificantes que acabamos por perder pesoas que amamos.. coisinhas pequenas manias que poderiam ser modificadas se tão somente ouvesse uma mudança de nossa parte.. isso evitaria de nos arrependermos mais tarde.. vim conhecer teu espaço e ja estou o seguindo sedesejares segue também..
    http://cristianesilvacompartilhandoexp.blogspot.com

    ResponderExcluir
  25. Lindo blog, vim pela indicação da Patricia e já fiquei aqui.
    Amei a postagem me fez refletir sobre certas atitudes que pratico sem pensar. Que tenha cada vez mais sucesso!!!

    ResponderExcluir
  26. Oi teacher,
    Paz

    Vim "dar uma força" ao amigo e à sua página. Todavia, sinto que saio fortalecido nesta visita. Na verdade, creio que Deus orientou-me a "buscar forças" para tomar sérias decisões em minha vida.
    Seu texto leva-nos a refletir profundamente sobre as coisas simples que o Criador colocou à nossa disposição para que usufruíssemos da sua existência.
    Somos 41 que entendem porque "saber é preciso"
    Abençoe-te Deus abundantemente
    Alberto

    ResponderExcluir
  27. Olá Augusto
    Vim conhecer seu blog por indicação da Patrícia.
    Claro que já me tornei sua seguidora.
    Uma belíssima reflexão! É preciso sabedoria na hora de fazer as escolhas para não incorrermos no erro como fez esta mulher que agiu por impulso um gesto de raiva... um sentimento inferior.
    Um carinhoso abraço
    Gracita

    ResponderExcluir
  28. 5:30 realmente é bem cedo, por essas e outras é que larguei a cidade grande, mas falando assim até parece que sou uma preguiçosa... Quanto ao hábito de sentar na calçada nas noites de verão, costumava fazer isso com minha avó, me enturmava com os vizinhos mais velhos graças à ela, ficava ouvindo as histórias de vida deles e as fofocas. Deve ser por isso que eu tenho umas preocupações "de velho", muita convivência...

    Beijos!

    ResponderExcluir
  29. OLÁ VIM CONHECER TEU CANTINHO ATRAVÉS DA PATRICIA AMEI E ESTOU FICANDO, QUANTO AO TEXTO UMA HISTÓRIA INTERESSANTE, TER UMA ÁRVORE NO QUINTAL É MUITO BOM !!! APESAR DO INCOMODO DAS FOLHAS QUE CAEM ,MAS A SOMBRA E A SENSAÇÃO DE BEM ESTAR COM A NATUREZA NÃO TEM PREÇO, A DONA DE CASA DA HISTÓRIA DEVE TER SE ARREPENDIDO DE VERDADE,A BAGUNÇA DAS CRIANÇAS ,DENTRO DE CASA O CALOR, E FICAR SEM SOMBRA NINGUÉM MERECE RSRS ABRAÇO DIANA

    ResponderExcluir
  30. Olá...realmente concordo com quem ressalta a importÂncia de valorizarmos as coisas mais simples que representam as maiores riquezas em nossas vidas.
    Uma arvore,folhas secas, sombra, fruta, tanta coisa boa...que aprendamos a valorizar os pequenos detalhes em nossos cotidianos.
    Um abraço, Rosangela.
    www.rosangelaprendizagem.blogspot.com
    www.rosangelavalipsicopedagogia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  31. Adoro minhas mangueiras. São seis ao todo.
    Mas tenho problemas com suas folhas, imaginem quantas são pelo chão.
    Queimar não posso, polui.
    O coletor de lixo faz cara feia para tanto saco.
    Não sei o que fazer!

    ResponderExcluir

A configuração de comentários foi ativada.

Obrigado por passar neste espaço.
Deixe sua participação.